07/03/2012 10h06 - Atualizado em 07/03/2012 10h06

Aprovados em concurso do HU cobram posição do MPF

São 225 aprovados, na lista de espera, que não foram chamados a assumir vagas ocupadas por contrados que ganham menos

 

O grupo de 225 aprovados em concurso público para ocupar vagas no Hospital Universitário, gerenciado pela Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD), cobra a convocação para assumir os postos que, segundo eles, estão sendo ocupados por pessoas contratadas e que ganham até 2/3 menos que o salário vigente.

Segundo Fabrício de Oliveira, de 32 anos, técnico de enfermagem, que foi aprovado no concurso realizado em 2010, uma comissão vai se reunir hoje, no Ministério Público Federal (MPF), em Dourados.

"A UFGD informou que necessitam de cargos federais, porém os contratados são da Fundação Municipal de Saúde. Eles alegam que, como o Ministério da Educação (MEC)(*) não teria liberado os cargos para o HU, a universidade foi obrigada a suprir as vagas com contratados temporários, situação que continua até hoje", diz Oliveira.

Na reunião marcada para às 14h, a comissão vai cobrar uma medida junto ao Ministério Público Federal. "O MPF pode pressionar o MEC para liberar os cargos de forma que os aprovados em concurso venham assumir as respectivas funções, as quais estão sendo ocupadas por funcionários temporários".

Em entrevista a uma emissora de TV local, o MPF disse que esta contratação temporárioa não vai implicar em que esses (aprovados) não sejam contratados e que o Ministério Público está acompanhando isso. "Se constatado que essa situação provisória está se prolongando por um tempo além da que é necessária para efetivar contratação deste pessoal que já foi aprovado, ai o Ministério Público vai tomar as medidas cabíveis, como já fez no passado (2010) em relação aos temporários que trabalhavam no hospital à época e, em função disso que não houve a contratação de 500 pessoas", afirmou o procurador Rafhael Otávio Bueno Santos.

(*) instituição que libera os cargos em nível federal.

Envie seu Comentário