Para entidades empresariais, modernização trabalhista vai melhorar ambiente de negócios

14/11/2017 18h22 - Por Agência Brasil


 
Fotos: Tomaz SIlva/Agência Brasil Fotos: Tomaz SIlva/Agência Brasil

A Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) passou, a partir de sábado (11), pela "maior mudança desde 1943", quando foi criada, exaltou a Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan), em nota sobre a nova lei trabalhista.

Criada quando o Brasil começava o processo de industrialização, a legislação não se adequava mais à economia de serviços e à era digital que o Brasil tem hoje, reforçou a Firjan.

"Depois de mais de sete décadas, o Brasil está ao lado de outros países com leis trabalhistas seguras, mas flexíveis", destacou nota.

Em comunicado, o presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaff, afirmou que a modernização é uma "vitória da sociedade e do Brasil" e propiciará a criação de novos empregos, "com segurança jurídica para todos".

Já para a Confederação Nacional da Indústria (CNI), a lei n. 13.467/17 representa "o almejado avanço na construção de relações do trabalho modernas e alinhadas com a economia do século 21".

A CNII reforçou, ainda, que a nova lei "privilegia o diálogo e valoriza a negociação em detrimento do conflito judicial" e que o crescimento sustentado da economia depende de avanços em diversos pilares da competitividade do País.

 
Fotos: Tomaz SIlva/Agência Brasil Fotos: Tomaz SIlva/Agência Brasil

Envie seu Comentário