Educadores voltam às aulas e mantêm protestos contra reforma da Previdência

20/03/2017 08h03 - Por: DouradosAgora

As medidas foram decididas em Assembleia Geral da Federação dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul (Fetems), na tarde de sábado. As medidas foram decididas em Assembleia Geral da Federação dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul (Fetems), na tarde de sábado.

Trabalhadores em educação optaram por voltar às aulas nesta segunda-feira, mas mantêm as mobilizações em adesão à Greve Nacional contra a Reforma da Previdência em todo o Estado. As medidas foram decididas em Assembleia Geral da Federação dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul (Fetems), na tarde de sábado.

De acordo com o presidente da Federação, Roberto Magno Botareli Cesar, a decisão da Assembleia é soberana e a continuidade da paralisação das escolas não seria possível depois dos depoimentos dos trabalhadores durante a discussão.

"Dos 79 municípios de MS, apenas 12 disseram que davam conta de permanecer paralisados e alguns parcialmente ainda, portanto nós enquanto Federação temos que ter a responsabilidade e o entendimento que greve não é de sindicato e sim da base, agora temos a obrigação de darmos continuidade à luta contra a Reforma da Previdência e isso nós faremos, continuaremos mobilizados, com ações no Estado todo e finalizar a conversa com os parlamentares federais sobre o assunto", disse.

Segundo a vice-presidenta da Fetems, Sueli Veiga Melo, a greve cumpriu e muito bem o seu papel em MS. "Foi uma agenda intensa, com união da classe trabalhadora do campo e da cidade, que conseguiu fazer com que os deputados colocassem seus posicionamentos contrários ao texto da Reforma, os diálogos se abriram e nós conseguimos mostrar para a sociedade de MS que a sua previdência corre sérios riscos", conclui.



Envie seu Comentário