Égua morre enquanto puxava carroça e cuidador abandona na rua em Dourados

Ela acredita que a égua provavelmente morreu por exaustão ao transitar no sol das 11h30, além de desnutrição severa. O corpo do animal estava coberto por ectoparasitas, como carrapatos

12/11/2017 18h32 - Por: Flávio Verão


 
Animal foi abandonado na rua pelo cuidador
Foto: Ana Claudia Schossig Lehmann Animal foi abandonado na rua pelo cuidador
Foto: Ana Claudia Schossig Lehmann

Uma égua jovem morreu no final da manhã deste domingo (12) enquanto puxava uma carroça no bairro Santa Fé, em Dourados. O cuidador abandonou o animal na rua.

A médica veterinária Ana Claudia Schossig Lehmann disse que o proprietário do animal simplesmente o retirou da carroça e o deixou no meio da rua.

Ela acredita que a égua provavelmente morreu por exaustão ao transitar no sol das 11h30, além de desnutrição severa. O corpo do animal estava coberto por ectoparasitas, como carrapatos

A veterinária conta que foi até o local, mas o animal teve uma morte rápida. Vizinhos disseram que a égua sofria ao tracionar a carroça, conduzida por um homem indígena. O animal gritou antes de tombar a carroça e morrer.

Moradora do bairro, a veterinária Ana Claudia é professora no curso técnico em Agropecuária e tem um projeto de conscientização de boas práticas de manejo em equinos de tração em Dourados. O trabalho recentemente foi apresentado na Feira de Tecnologias, Engenharias e Ciências de Mato Grosso do Sul - FETEC-MS.

"Muito me entristece ver um animal morrer desta maneira", lamenta a médica veterinária, que busca apoio e ajuda para conseguir acabar com essa problemática através da conscientização dos proprietários dos animais que atuam com carroça. "Acreditamos que poderíamos evitar esse tipo de fatalidade", finalizou.

Não há números oficiais de quantos carroceiros existem em Dourados, mas um levantamento feito pela prefeitura em 2011, mostrava que pelo menos duas mil pessoas atuavam nessa atividade naquela época.


Envie seu Comentário