Produtividade foi o principal fator de aumento da renda do produtor de café

12/01/2018 15h11 - Por imprensa@agricultura.gov.br


 
Pixy Nook Pixy Nook

Estudo da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), divulgado na terça-feira (9), confirma que a mecanização foi o principal efeito positivo na produtividade da lavoura de café, tanto para a variedade arábica quanto para a conilon.

"A Cultura do Café: Análise dos Custos de Produção e da Rentabilidade nos Anos-Safra 2008 a 2017" identificou também tendência para o crescimento de gastos com agrotóxicos.

Em Luiz Eduardo Magalhães, Bahia, e Cristalina, Goiás, áreas de cultivo do café arábica, a rentabilidade foi positiva em quase todos os anos analisados.

Assim também ocorreu em Patrocínio e São Sebastião do Paraíso, Minas Gerais, onde houve comportamento semelhante no período de 2011 a 2016, com exceção de 2013.

Em Franca, São Paulo, e Londrina, Paraná, a recuperação foi positiva a partir de 2014. Já os produtores de café arábica de Venda Nova do Imigrante, Espírito Santo, experimentaram resultados positivos apenas em 2012 e 2016.

Na produção de conilon, o comportamento também não foi uniforme. Em Rondônia, de 2008 a 2013, métodos de plantio menos técnicos resultaram em baixa produtividade e prejuízos ao produtor em três dos seis anos analisados.

A partir de 2015, com a mudança radical no pacote tecnológico, a tendência se inverteu e registrou-se forte aumento na produtividade e melhor remuneração aos produtores.

Já em Pinheiros, no Espírito Santo – principal estado produtor de conilon - a melhor produtividade e os preços recebidos pelos produtores de conilon foram essenciais para os bons resultados em todos os anos analisados.


Envie seu Comentário