Exército destrói armas de grosso calibre apreendidas em operações policiais

Operação da 9ª Região Militas destruiu 1.260 armas de diversos calibres, 315 lunetas, 19 miras telescópicas e 97 acessórios

22/09/2017 06h33 - Por:Elvio Lopes/De Campo Grande

Armas e acessórios destruídos ontem por rolo compactador na sede do 9º Batalhão de Suprimento na Capital
General Teche, comandante da 9ª Região Militar e coronel Lessa acompanham destruição e armas e acessórios
FOTOS: DIVULGAÇÃO/9ª RM Armas e acessórios destruídos ontem por rolo compactador na sede do 9º Batalhão de Suprimento na Capital
General Teche, comandante da 9ª Região Militar e coronel Lessa acompanham destruição e armas e acessórios
FOTOS: DIVULGAÇÃO/9ª RM

O Exército Brasileiro realizou, na manhã de ontem, no quartel do 9º Batalhão de Suprimento (9º BSup) em Campo Grande, a destruição de armamento apreendido em crimes e operações ocorridas em Mato Grosso do Sul. A destruição das armas foram feitas sob a supervisão do general de Brigada Carlos Henrique Teche, comandante da 9ª Região Militar (9ª RM) e do coronel Pedro Alexandre Lessa Varandas, comandante do 9º BSup.

O batalhão é uma das organizações militares integrantes do Sistema de Fiscalização de Produtos Controlados (SFPC) e participa também, com outras organizações militares dos dois estados e apoio das polícias Militar, Rodoviária Federal, Federal e Civil; do Corpo de Bombeiros, secretarias de Estado de Fazenda e Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM), da Operação Dínamo V.

As armas e acessórios foram dispostas em uma fileira no pátio da corporação e destruídas por um rolo compactador pertencente ao 9º Batalhão de Engenharia de Construção (9º BEC), de Cuiabá (MT), trazido à Capital entre os equipamentos para obras de readequação viária do Corredor Sudoeste do Transporte Coletivo.

Foram pré-destruídas 1.260 armas de diversos calibres – como espingardas, escopetas, metralhadoras, submetralhadoras, pistolas e revólveres, além de 315 lunetas, 19 miras telescópicas e 97 outros acessórios, como carregadores e estojos para armamentos.

Segundo a nota da 9ª RM, os produtos controlados destruídos ontem são provenientes de processos judiciais e grande parte originários de crimes, dos quais cerca de 10% a 15% da Campanha Nacional do Desarmamento no âmbito de Mato Grosso do Sul.

As destruições realizadas pelo Exército garantem o cumprimento do Estatuto do Desarmamento, retirando de circulação armamentos e acessórios utilizados em ações criminosas e contribuindo com o aumento da segurança da população.

"Os armamentos pré-destruídos são armazenados e serão encaminhados posteriormente para destruição final, na siderúrgica de Corumbá, provavelmente, ainda neste ano. Quem ganha é a sociedade, pois devido ao processo legal, a justiça determina a destruição e nós realizamos o controle para evitar que essas armas voltem para mãos de criminosos", destacou o General Teche.

FISCALIZAÇÃO A 9ª Região Militar, por intermédio do Serviço de Fiscalização de Produtos Controlados (SFPC/9), iniciou na quarta-feira (20) a Operação Dínamo V, com fiscalizações realizadas em empresas que lidam com Produtos Controlados pelo Exército (PCE), com ênfase em explosivos, artigos químicos, armas e munições.

A operação ocorre nos estados de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, com o objetivo de intensificar a fiscalização de todo o ciclo de vida dos materiais explosivos e correlatos, com a verificação da documentação; das condições de segurança; do controle da produção e estoque; do armazenamento; da comercialização e transporte bem como da utilização de explosivos, conforme as normas em vigor.

As atividades conduzidas pelo SFPC têm alcançado importantes resultados, conforme verificados nas Operações Dínamo, em anos anteriores, e nas Operações Rastilho, Azoto, Alta Pressão e Impacto, ocorridas ao longo de 2017. Todo esse empenho é direcionado para combater e prevenir os ilícitos com o uso de explosivos, o que tem incrementado, significativamente, o esforço conjunto em prol da segurança pública.

Mais informações, dúvidas ou interesse em saber como trabalhar legalmente com PCE, entre em contato com o Serviço de Fiscalização de Produtos Controlados (SFPC/9) pelo e-mail atendimento-sfpc@9rm.eb.mil.com.br ou no site www.dfpc.eb.mil.com.br.



Envie seu Comentário