21.6 C
Dourados
quarta-feira, 8 de dezembro de 2021

Doutorando da UFGD participa de evento com vencedores do Prêmio Nobel

- Publicidade -

Para discutir o impacto da ciência e o papel dos cientistas na sociedade, cinco vencedores do Prêmio Nobel vão se reunir virtualmente com 80 estudantes de cerca de 20 países da América Latina e do Caribe. O evento, organizado pelo Nobel Prize Outreach, pela Academia Brasileira de Ciências (ABC) e pela Rede Interamericana de Academias de Ciências (IANAS), será transmitido para uma audiência global no dia 16 de novembro.

Entre os países participantes, o Brasil será o com o maior número de representantes, 16 no total. No grupo de selecionados está o estudante Igor Gabriel Silva Oliveira, que atualmente cursa o doutorado pelo Programa de Pós-graduação em Ciências e Tecnologia Ambiental da Faculdade de Ciências Exatas e Tecnologia da Universidade Federal da Grande Dourados (FACET/UFGD).

Aos 25 anos, Igor, que é aluno da UFGD desde a graduação, em Biotecnologia, participará de uma das sessões de conversação do evento, na qual estará presente a vencedora do Nobel de Química em 2020, a francesa Emmanuelle Charpentier. Ele foi indicado pela Pró-reitoria de Ensino de Pós-graduação e Pesquisa (PROPP) da Universidade, que se baseou em seu perfil acadêmico e no conhecimento de línguas estrangeiras.

“É uma grande oportunidade que surgiu repentinamente. Ainda estou um pouco nervoso para a sessão, mas muito empolgado em poder representar a UFGD em um evento tão importante”, conta o doutorando. Ele diz que, apesar de atualmente pesquisar o desenvolvimento de sensores eletroquímicos, vem tendo bastante contato com o trabalho de Charpentier desde a graduação – a francesa, que é microbióloga, estuda células-tronco e terapia celular e, juntamente com a norte-americana Jennifer Doudna, criou uma ferramenta revolucionária capaz de editar a estrutura do DNA humano, que ficou conhecida pelo acrônimo CRISPR.

O Diálogo Prêmio Nobel América Latina e Caribe terá a presença de nomes de peso. Além de Charpentier, participarão do encontro a australiana Elizabeth Blackburn e a norueguesa May-Britt Moser, vencedoras do Nobel de Medicina em 2009 e 2014, respectivamente; o norte-americano Saul Perlmutter, Nobel de Física em 2011; e o holandês Bernard Feringa, Nobel de Química em 2016.

No encontro, os laureados estarão reunidos com 80 estudantes de graduação e pós-graduação de quase todos os países da América Latina e do Caribe. Divididos em cinco salas virtuais, eles debaterão questões como a responsabilidade dos cientistas e a construção de diálogos entre a ciência, os atores políticos e a sociedade. Os cinco Prêmio Nobel também vão propor desafios científicos aos jovens e responderão a questões propostas pelos estudantes.

“Esse encontro é uma oportunidade fantástica para que os estudantes conheçam mais sobre o trabalho e também a vida dos vencedores do Prêmio Nobel. Para que eles saibam como esses cientistas chegaram até lá. Nosso foco é incentivar aspirantes a cientistas a continuarem no caminho da pesquisa científica, que se interessem por questões como a natureza humana e o universo e ajudem no desenvolvimento do Brasil e da América Latina em geral”, disse o presidente da ABC, Luiz Davidovich.

Este é o segundo encontro da parceria entre o Nobel Prize Outreach e a ABC, desta vez com estudantes da América Latina e do Caribe no evento, trazendo mais pluralidade para as discussões. A região enfrenta desafios como mudanças climáticas, instabilidade política e desigualdades sociais, além de ter sido uma das que mais sofreram as consequências da pandemia da covid-19 no mundo.

“Queremos inspirar essa nova geração de cientistas a trabalhar juntos, tanto em equipe quanto ao lado da sociedade, e a usarem a ciência para enfrentar os grandes desafios que temos à nossa frente”, contou a CEO da Nobel Prize Outreach, Laura Sprechmann.

E é justamente para dar resposta a todos esses desafios da região que o encontro foi organizado, segundo a co-presidente da IANAS e vice-presidente da ABC, Helena Nader.

“Os países da América Latina e do Caribe enfrentam enormes desafios que, para serem superados, demandam conhecimento e comprometimento com a verdade, especialmente em uma época na qual convivemos com valores anticiência. A construção de soluções para muitos dos problemas que enfrentamos hoje, assim como outros que ainda surgirão, virão dos jovens. Ao reunir estudantes talentosos com vencedores do Prêmio Nobel, esperamos inspirar e estimular a formação de uma nova geração de cientistas que terão um papel fundamental para ajudar a construir um futuro melhor para a região”, afirmou.

O programa será moderado pelo diretor científico da Nobel Prize Outreach, Adam Smith, e o professor de psicologia clínica integrativa e membro do comitê do Prêmio Nobel, Juleen Zierath.

O evento é organizado pelo Nobel Prize Outreach, pela Academia Brasileira de Ciências e pela Rede Interamericana de Academias de Ciências com o apoio dos parceiros internacionais do Nobel: 3M, ABB, Capgemini, Ericsson e Scania.

TRANSMISSÃO

Unidos pela Ciência – Diálogo Prêmio Nobel América Latina e Caribe

Data: 16 de novembro

Horário: 13h – 16h (horário de Brasília)

Onde assistir: YouTube Nobel Prize

Veja também

- Publicidade -

Últimas Notícias

- Publicidade -
- Publicidade -

Últimas Notícias

- Publicidade-