31.7 C
Dourados
quinta-feira, 2 de dezembro de 2021

Por menos de um dólar, testes para HIV/sífilis ajudam a eliminar infecção de mães para bebês

- Publicidade -

Todos os anos, quase 1,3 milhão de mulheres vivendo com HIV engravidam e cerca de pouco menos de 1 milhão de gestantes estão contaminadas com sífilis. Muitas grávidas seguem sendo afetadas por ambas as infecções por falta de diagnósticos e tratamento.

Para ajudar a combater a transmissão vertical, de mães para bebês, uma nova parceria entre a MedAccess e a SD Biosensor com a Iniciativa Clinton de Acesso à Saúde vai colocar à disposição testes RDTs por menos de um dólar. 

Desde 2019, a OMS recomenda o uso de testes rápidos e duplos para HIV  e sífilis na atenção pré-natal. No entanto, a sua adoção ainda está longe do ideal, com apenas 23% de todos os países relatando uma política nacional.

Organização Mundial da Saúde (OMS) anunciou, na segunda-feira (15), a disponibilização de kits com testes duplo para HIV e sífilis, que custam menos de um dólar. Eles seriam voltados para mulheres grávidas a fim de impedir a transmissão vertical, da mãe para o bebê. O custo baixo foi possível graças a uma nova parceria entre duas empresas, a MedAccess e a SD Biosensor, com a Iniciativa Clinton de Acesso à Saúde.

A cada ano, cerca de 1,3 milhão de mulheres vivendo com HIV engravidam e pouco menos de um milhão de mulheres grávidas são infectadas com sífilis. Apesar da disponibilidade de diagnósticos e tratamentos acessíveis, as infecções não diagnosticadas e não tratadas continuam a afetar a vida de muitas mães e de seus filhos.

Progresso – De acordo com a OMS, os testes de diagnóstico rápido são simples de usar e podem integrar e agilizar os serviços. Eles também podem possibilitar que mais países eliminem a transmissão de HIV e sífilis de mães para filhos. A parceria da Iniciativa Clinton com as duas empresas leva ao preço mais baixo já registrado até agora.

Para a diretora global dos programas de HIV, hepatitis e DST (doenças sexualmente transmissíveis) da OMS, Meg Doherty, o novo preço é um desenvolvimento emocionante.

“Isso vai ajudar mais países a adotarem a testagem dupla de HIV e sífilis e vai acelerar o progresso na eliminação da transmissão delas entre mães e filhos e vai entregar os serviços para grupos chaves, nos quais as duas doenças são comuns.”

Meg Doherty, diretora global dos programas de HIV, hepatitis e DST.

Recomendações – Desde 2019, a OMS recomenda o uso desses testes não somente na linha de frente do cuidado pré-natal para ajudar os países a eliminar a transmissão de mãe para criança, mas também como uma maneira de reduzir os custos.

Até hoje, a agência pré qualificou três diferentes tipos de testes duais rápidos de HIV e sífilis. Muitos países adotaram essas recomendações e estão introduzindo os testes, particularmente na região da África.

A OMS estipula que, ano passado, os principais doadores e governos adquiriram mais de cinco milhões desses testes e acredita que o número precisa continuar a crescer. A Nigéria, por exemplo, começou o programa piloto em 2019 e agora está caminhando para a implementação em escala nacional. O país planeja distribuir quatro milhões de testes no ano que vem.

Apesar de alguns ganhos importantes, a adoção global dos testes duplos rápidos de HIV e sífilis no cuidado pré-natal ainda está longe do ideal, com somente 23% de todos os países relatando uma política nacional.

Fonte ONU

Veja também

- Publicidade -

Últimas Notícias

- Publicidade -
- Publicidade -

Últimas Notícias

- Publicidade-