31.9 C
Dourados
quinta-feira, 20 de janeiro de 2022

Fato ou Fake: Bolsa usuário de drogas

- Publicidade -

Infelizmente, nos últimos tempos tem circulado notícias falsas referentes à “bolsa usuário de drogas“. Nas correntes de WhatsApp, a fake news aponta que usuários de drogas têm direito a uma bolsa no valor de R$1000,00 mensais, pelo resto da vida. Mas isso não passa de uma mentira.

A real medida feita pelo Governo, por meio do INSS, visa auxiliar dependentes químicos, mas sem “dar dinheiro de qualquer jeito”. Ou seja, o auxílio-doença, nesse caso, conta com requisitos importantes para oferecer esse suporte para o dependente que necessita de ajuda.

Um suporte com condições sérias – e não uma bolsa usuário de drogas como dizem as fake news

O que o Governo realmente oferece para os dependentes químicos é um auxílio-doença do INSS. Esse auxílio, no entanto, só será concedido dentro de circunstâncias específicas, como por exemplo:

  • Apenas se o dependente estiver fazendo tratamento em uma clínica de reabilitação;
  • O indivíduo não apresentar condições de executar qualquer tipo de atividade laboral;
  • O perito do INSS constatar que o indivíduo necessita de suporte e ajuda para conseguir se desenvolver e se recuperar;
  • O sujeito precisa ter 12 contribuições pagas ao INSS;
  • Entre outras variáveis de cada caso.

Ou seja, o benefício não é concedido para qualquer pessoa. Tampouco se trata de algo simples e que será vitalício.

Mas sim, ele foi feito para auxiliar usuários de MD droga, álcool, crack e tantos outros entorpecentes que, muitas vezes, tiram a chance de o sujeito viver a sua vida.

Além disso, esse suporte visa impulsionar o dependente em sua busca por ajuda em uma clínica de reabilitação, o que pode ser imprescindível em casos nos quais a abstinência é intensa, por exemplo.

Circunstâncias específicas de tratamento

Vale ressaltar que o auxílio para o dependente químico pode levar em conta as circunstâncias específicas do tratamento em questão.

Por exemplo, não há cura para ex-viciados em crack, e por isso é necessário que o perito do INSS avalie essa circunstância em concordância com o tratamento que o sujeito está fazendo.

Ademais, é fundamental buscar auxílio profissional nesse momento. Sem ele, o auxílio-doença não é liberado. Ou seja, quando você vir algum conteúdo falando sobre as “facilidades” de uma “tal bolsa usuário de drogas”, desconfie e verifique a veracidade do conteúdo. 

Veja também

- Publicidade -

Últimas Notícias

- Publicidade -
- Publicidade -

Últimas Notícias

- Publicidade-