18.9 C
Dourados
sábado, 21 de maio de 2022

Casulo – Espaço de Cultura e Arte apresenta nesta semana ações voltadas para a Arte como Resistência

- Publicidade -

No mês de abril e maio, o espaço vem realizando ações que envolvem ativistas e artistas indígenas e não indígenas com o intuito de seguir a luta por direitos à arte e cultura, para todas e todos.

Apoiando-se na experiência que o Casulo tem com essas comunidades, no que é considerado tradição e também nos saberes novos que, resultam das aproximações e encontros entre a sociedade envolvente, estão previstas diversas atividades interculturais que promoverão intercâmbios artísticos, exposição de artes visuais, apresentações de dança, música, mostra de filmes, lançamentos de livros, além de encontros filosóficos.

Todas as ações serão gratuitas e abertas ao público. O espaço receberá doação de alimentos não perecíveis e de roupas e cobertas de frio em bom estado, para serem doadas às comunidades indígenas parceiras neste projeto. A campanha seguirá durante todo o mês de abril e maio.

Dia 28 de abril, quinta, às 18h30 acontecerá a primeira PUPA FILOSÓFICA,  com o tema “Casas de rezas queimadas e violência contra as guardiãs dos saberes tradicionais” com a participação de Paula Rodrigues, Indianara Machado, Teresinha Aquino e moderação de Cátia Paranhos. Haverá certificado de participação para quem solicitar.

Indianara Ramires Machado, Guarani Kaiowá é enfermeira, Vice-presidente da Associação Ação Dos Jovens Indígenas de Dourados (AJI), mestranda em Fisiopatologia Experimental pela USP e é presença confirmada. Paula Rodrigues – Poty Reñoi é psicóloga, caminhante do SUS e demais caminhos nos Direitos Humanos junto aos povos Guarani e Kaiowá, especialista pelo Programa de Residência Multiprofissional em Saúde com ênfase em Saúde Indígena (UFGD) e pós graduanda em Educação Popular em Saúde, na Promoção de Territórios Saudáveis e Sustentáveis (Fiocruz/Brasília), Teresinha Aquino nasceu na aldeia Lagoa Rica, Douradina, filha de Merina Ramona e Hamilton Aquino, numa família que mantinha viva a cultura kaiowá nos rituais, na persistência da luta pela sua terra tradicional e no uso da sua língua kaiowá, na linha da tradição do Pa’i Chiquito e Ha’i Ramonita, Pa’i Paulito e Ha’i Mariana, seus avós. Frequentou a escola até a segunda série. Casou-se com Joel Hilton, que também foi muito zeloso pela cultura kaiowá. Mora no acampamento Itay Ka’agwygurusu, Douradina. Pouco mais de 1 ano depois da inauguração, sua casa de reza foi queimada e ela começou a ser perseguida. Mas a força de Teresinha e sua comunidade é maior que as ameaças. Uma nova casa grande está em pé. Símbolo de sua Arte-Resistencia. A mediação ficará por conta de Catia Paranhos, psicóloga, professora da UFGD e aprendiz dos mundos Kaiowá e Guarani.

PUPA porque todo CASULO passa por um período de pupa, de ainda não, quando o futuro inseto deixa de ser uma larva, mas ainda não está suficientemente desenvolvido; se a pupa abrir antes desse ser em formação estar “apto”, o inseto morrerá. Para que isso não ocorra com temas vitais e desafios que mobilizam nossa inteligência e nossos afetos, o Casulo quer acolher nesta programação, com o cuidado e a atenção que merecem, o tema da intolerância e o desafio das transformações sociais para as mestras e os mestres tradicionais.

Já nos dias 29 e 30 de abril acontecerá o intercâmbio artístico entre o Grupo de Dança Arandu do Tekoha Guapo’y de Amambai e a CIA DANÇURBANA de Campo Grande/MS. O grupo Arandu está reiniciando seus trabalhos, com novos integrantes, após ricas experiências nos anos anteriores. Seu fundador e professor kaiowá Ismael Morel virá até Dourados com 12 jovens kaiowá de seu grupo e aqui se encontrará com a Cia Dançurbana para oficinas, aula de técnica e composição, intercâmbio de experiências, sonhos e apresentações. As ações do intercâmbio serão direcionadas aos dois grupos, porém cada um fará sua apresentação no Casulo, aberto ao público gratuitamente, em dias diversos. Dia 29/04 às 20h a Cia Dançurbana apresenta dois trabalhos solos de dança contemporânea “talvez seja isso” da intérprete Jackeline Mourão, e “Dançar as Fúrias” do intérprete Ralfer Campagnae. Já o Grupo Arandu se apresenta no dia 30/05, às 19h.

No dia 30 de abril, às 19h30, acontecerá o lançamento do livro bilíngue, português – kaiowá, Jaity Múro ‘Derrubemos Muros’, uma Dramaturgia escrita pelas professoras de Artes Cênicas Júnia Pereira e Karla Neves e a docente kaiowá Rossandra Cabreira, que formam o Grupo Orendive (Conosco) – Teatro Intercultural.

Segue no espaço a exposição  IMAGENS DA VIDA KAIOWÁ, do desenhista kaiowá Misael Concianza Jorge, e os artistas visuais Tom Kyo e Ana Sol de Dourados/MS.

Para mais informações acompanhem as redes sociais: @casulodourados e www.facebook.com/casuloarte

Serviço

.  28/04 – 18h45 – 21h30Pupa Filosófica: Casas de rezas queimadas e violência contra as guardiãs dos saberes tradicionais – Paula Rodrigues, Indianara Machado, Teresinha Aquino. Moderadora Cátia Paranhos

.     29/04 – 20h Apresentação da CIA DANÇURBANA de Campo Grande/MS

.     30/04 – 19h Apresentação do grupo de Dança Arandu do Tekoha Guapo’y – Amambai

.    30/04 – 19h15 Lançamento do livro Jaity Múro ‘Derrubemos Muros’ – Dramaturgia escrita por Júnia Pereira, Karla Neves e Rossandra Cabreira – Grupo Orendive – Teatro Intercultural.

   Entrada gratuita

📢 O espaço estará arrecadando alimentos não perecíveis e roupas e coberta de frio que serão destinados a comunidade indígena.

📌 TERÁ CERTIFICADO DE HORAS NA PUPA.

Endereço: Rua Reinaldo Bianchi, 398 – Parque Alvorada, Dourados – MS, 79823-381, Telefone/Whatsapp: +55 67 99870-0269

Ficha técnica:

Direção geral: Graciela Chamorro

Gestão e produção: Júlia Aissa

Produtoras: Ludmila Lopes e Beatriz Gabriele

Comentários do Facebook

Veja também

- Publicidade -

Últimas Notícias

- Publicidade -
- Publicidade -

Últimas Notícias

- Publicidade-