33.2 C
Dourados
quinta-feira, 29 de fevereiro de 2024

Brincadeiras de verão: dicas e cuidados com os pequenos!

- Publicidade -

Quem tem crianças por perto, sabe que essa é uma das épocas em que eles mais aproveitam a infância. As brincadeiras de verão unem o calor da estação com a água, criando uma receita infalível para a diversão dos pequenos. Acompanhe algumas sugestões para garantir segurança e alegria nesses momentos únicos.

Banho de mangueira

Talvez essa seja a brincadeira mais popular de todas porque não exige nenhum equipamento ou ferramenta específica. Apenas a mangueira, muito comum nas casas brasileiras. Basta ligar na torneira e criar uma versão inusitada e muito refrescante do banho diário.

Dá para variar e criar alternativas também. Uma delas é usar a garrafa pet ou outro tipo de pote de plástico que seja descartável. Então, faça furinhos e encaixe a mangueira nele. Assim, a simulação de um chuveiro será bem próxima da realidade. As crianças adoram essa ideia, que é simples, barata e apaixonante.

Guerra de bexigas

Uma das brincadeiras de verão mais tradicionais, e que nunca sai de moda, é a guerra de bexigas de água. Nem precisa de passo a passo para fazer acontecer: basta enchê-las com água, amarrar e se divertir. A partir disso, as regras variam conforme a faixa etária e o objetivo da gincana.

A principal versão acontece com a divisão de equipes. Assim, funciona como um tipo de queimada, só que aquática. Sendo assim, quem acertar a bexiga no outro, marca ponto. No fim, vence quem marcar mais pontos. Ou quem tiver menos molhado.

Lava-rápido

Aqui está uma ideia genial, que de tão simples se torna ainda mais incrível. Primeiro, pense na estrutura do lugar. Dá para usar aqueles macarrões de piscina para fazer arcos ou usar cadeiras de plástico para limitar o lugar, por exemplo. Então, o lava-rápido está pronto.

Após isso, pegue os brinquedos que simulam veículos e que podem molhar. Na sequência, inicie os processos de lavagem, enxágue e secagem. Faça isso com carrinhos de passeio, andadores ou bicicletas. No mercado, existem até caminhões que simulam tanques de água.

Caça ao tesouro na piscina

Essa também é tradicional: quem nunca ficou procurando vários “tesouros” no fundo da piscina? A dica é avaliar a idade das crianças e, claro, a altura que a água está para evitar qualquer tipo de perigo. Para alguns casos, a solução é caçar os objetos que boiam e, portanto, ficam sobre a água.

Aliás, sabia que esse também é um tipo de exercício físico? Ele exige muito dos pequenos “atletas”, desde a boa respiração até mesmo a velocidade e concentração. O importante é ter cautela na criação das regras e observar como estão lidando com o desafio aquático.

Circuito esportivo

Para as crianças maiores, que costumam ser mais competitivas, vem a ideia do circuito molhado. Pode acontecer de várias maneiras, como ao levar água em um pote pequeno até um tambor maior. As equipes são divididas e vence quem encher o primeiro tambor.

Para evitar corridas no chão escorregadio, que pode ser perigoso, outra sugestão é passar o pote de água entre os competidores até que chegue no tambor. Assim, o movimento será feito com as mãos e braços, sem a necessidade de caminhada ou corrida.

Os cuidados para ter com os pequenos

A verdade é que ninguém quer que a diversão se torne preocupação. Por isso, a sugestão é tomar os devidos cuidados para prevenir qualquer risco. Neste tópico, detalhamos um pouco mais das principais formas de cuidar dos pequenos durante as brincadeiras de verão.

Adultos sempre por perto

Um dos erros mais comuns dos pais e responsáveis é achar que eles já sabem nadar ou que não há riscos. A verdade é que as crianças são curiosas, sendo algo instintivo. Por isso, é altamente recomendado ter um adulto por perto para evitar qualquer possível risco.

Aqui entra um detalhe importantíssimo. A distração, de milésimos de segundos, pode ser irreversível. O que acontece ao ficarem usando o celular enquanto “cuidam” das crianças na piscina ou na água. O que se recomenda é atenção total aos pequenos, ok?

Roupas com proteção UV

As roupas com proteção UV (ultravioleta) são um verdadeiro avanço tecnológico. Isso porque permite um cuidado especial com a pele e a saúde dos pequenos sem interferir na diversão. São peças de roupas conhecidas, como blusas e bodys, só que com o adicional do fator protetivo.

Agora, uma informação que pouca gente conhece, mas é legal saber. Por conta da alta tecnologia na fibra do tecido, a camisa de proteção continua bloqueando quase que 100% dos raios UVA e UVB mesmo quando molhadas. Por isso, são indicadas até mesmo pelos pediatras.

Hidratação constante

Mais uma ótima sugestão é a de manter a hidratação. O motivo é bem simples: o verão indica uma época com temperaturas altas. Logo, a ação de beber água e consumir alimentos ricos nesse nutriente se torna ainda mais importante para compensar a perda de líquidos do corpo.

Aliás, lembrem-se que há várias maneiras de se hidratar, sendo a água a principal delas, mas não a única. Outras opções são: suco à base de frutas naturais, água de coco natural e chás. Já bebidas como refrigerantes e isotônicos não devem ser consumidos com muita frequência.

Alimentação adequada

É muito comum que durante os meses de mais sol, as crianças brinquem mais. Ou seja, possuem um gasto calórico maior, quando pensamos nas brincadeiras. Logo, se faz necessário o consumo de alimentos ricos em vários nutrientes, como carboidratos, entre outros.

Na dúvida, sempre procure auxílio médico e de nutricionistas – tanto para hidratação quanto para alimentação. Entretanto, outros alimentos também são reconhecidos pelo poder de fortalecer a saúde dos pequenos e podem ser lembrados aqui, como frutas, legumes e proteínas.

Brincadeiras de verão para todos!

A partir dos cuidados mencionados acima, as brincadeiras de verão se tornam interessantes para todas as pessoas e de todas as idades. Por isso, não ouse na hora de inovar e criar novas formas de se divertir. Faça isso adaptando as ideias conforme o interesse dos participantes.

Inclusive, os adultos também podem se aventurar. Assim, além de supervisionarem os pequenos, acabam se lembrando de suas infâncias. Geralmente, como época boa, em que o único pedido era o de que o tempo passasse mais devagar para não dar fim à hora de brincar.

Veja também

- Publicidade -

Últimas Notícias

- Publicidade -
- Publicidade -

Últimas Notícias

- Publicidade-