Com foco em programação e robótica, escolas do Sesi estão com matrículas abertas

A instituição de ensino já está com as matrículas abertas para 2019 nas sete unidades do Estado, localizadas nas cidades de Aparecida do Taboado, Campo Grande, Corumbá, Dourados, Maracaju, Naviraí e Três Lagoas

21/11/2018 10h52 - DouradosAgora


Programação, robótica e pensamento computacional são as novas tendências educacionais para desenvolver habilidades do futuro profissional. Ou seria do presente profissional? Ainda que possa parecer uma realidade distante, um modelo de educação que conta com essas tecnologias já faz parte da rotina dos alunos da rede de escolas do Sesi de Mato Grosso do Sul e tudo isso por mensalidades bastante atraentes e que cabem no bolso dos pais.

A instituição de ensino já está com as matrículas abertas para 2019 nas sete unidades do Estado, localizadas nas cidades de Aparecida do Taboado, Campo Grande, Corumbá, Dourados, Maracaju, Naviraí e Três Lagoas. Com um ensino pioneiro em Mato Grosso do Sul quando o assunto é inovação, as escolas do Sesi atuam com um equilíbrio entre as exigências que envolvem a preparação para ENEM e outros vestibulares com o diferencial de uma educação tecnológica condizente tanto com os hábitos do jovem de hoje, que não deixam a Internet e os games de lado, quanto com o perfil profissional procurado pelas grandes empresas.

A gerente de educação do Sistema Fiems, Simone Cruz, afirma que a escola que não enxergar e se apropriar da revolução tecnológica pela qual a sociedade vive hoje, ficará para trás. "Estamos cientes e bastante satisfeitos em dizer que estamos provocando uma quebra de paradigma na educação. No futuro, não teremos apenas as profissões tradicionalmente reconhecidas como médicos, engenheiros, advogados, administradores. As crianças que estudam hoje vão trabalhar em profissões que não existem, então não podemos continuar com o mesmo paradigma de antigamente", analisou a pedagoga e mestra em Educação.

Plataformas tecnológicas

Robótica e Programação - O ensino de robótica nas escolas do Sesi do Estado já levaram os alunos a desenvolver um protótipo do que seria uma alternativa mais barata e sustentável para o gás de cozinha; uma bengala eletrônica para deficientes visuais; um aplicativo para identificar pontos de alagamentos na Capital e inúmeras outras soluções tecnológicas para tornar a vida das pessoas mais fácil. Depois de incluir a robótica na grade curricular, a Escola do Sesi concluiu um projeto-piloto e, a partir do ano que vem, vai estender para todas as escolas a RoboGarden, uma plataforma usada em vários países para ensinar programação a crianças e jovens de 7 a 17 anos de idade. "Dominar a linguagem de programação hoje é considerado tão importante quanto saber um segundo idioma", afirma a gerente de Educação do Sistema Fiems, Simone Cruz.

Empreendedorismo - Nas escolas do Sesi, a disciplina de Empreendedorismo é aplicada em parceria com o Sebrae, que é referência no assunto, e trabalha com conceitos do protagonismo dos alunos, atitudes criativas, assertividade e busca da inovação. A matéria faz parte da grade curricular a partir da 6ª série do Ensino Fundamental até o 1º ano do Ensino Médio, com aulas semanalmente.

Plataformas online - As escolas do Sesi disponibilizam inúmeras plataformas online para despertar o interesse do aluno em Matemática, Português e outras disciplinas, além de tornar o ensino dinâmico e inovador. O Mangahigh, por exemplo, é um site utilizado no mundo todo e baseia o ensino de Matemática em games, ou seja, o aluno aprende brincando. Como estímulo ao hábito de leitura e para ampliar os conhecimentos da Língua Portuguesa, as escolas do Sesi do Estado integram à metodologia de ensino o Guten News, plataforma que funciona como um jornal digital que "traduz" as notícias para a linguagem infanto-juvenil. Já o Imaginie simula um corretor da redação do ENEM, para que o aluno possa treinar a elaboração de textos dentro dos parâmetros exigidos na prova que é porta de entrada para as principais universidades do país.

Iniciação científica – A partir do 8º ano do Ensino Fundamental até o Ensino Médio os alunos têm contato com trabalhos de pesquisa que muitos só irão ter acesso na faculdade, e olhe lá. Os jovens desenvolvem projetos de pesquisa em diversas áreas do conhecimento, sempre com a orientação de um professor, podendo contar, ainda, com auxílio de docentes da UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul), graças a uma parceria do Sesi com a instituição de ensino. Os trabalhos elaborados pelos alunos inclusive são submetidos a feiras científicas de abrangência nacional, aproximando-os da comunidade acadêmica e científica.

Torneios de robótica - Além das feiras de tecnologia, os alunos também são incentivados a participar de diversas competições nacionais e internacionais, como os torneios de robótica da FLL (First Lego League), liga estadunidense que organiza a maior disputa mundial entre robôs; OBR (Olimpíada Brasileira de Robótica), Obmep (Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas), OBA (Olimpíada Brasileira de Astronomia), entre outras. As escolas do Sesi também promovem todos os anos o Torneio Interclasses de Robótica, uma forma de estreitar os laços entre os alunos e despertar o interesse para as competições externas.

Ambientes Inspiradores e Tecnológicos - As escolas do Sesi contam com salas interativas, espaços inovadores que quebram o padrão da sala de aula tradicional, e despertam e estimulam o protagonismo e interesse do aluno pelo aprender.

***Serviço ***

Para conhecer melhor todas essas novidades, saber mais sobre disponibilidade de vagas e outras informações acesse o site www.aescoladofuturo.com.br ou ligue 0800 723 7374 ou vá até a Escola do Sesi de sua cidade



Envie seu Comentário