Creche André Luiz forma gerações há 4 décadas

27/02/2019 10h16 - Por: Da redação


Na Creche André Luiz, crianças são atendidas em tempo integral, das 7h às 17h (Foto: Eliel Oliveira/Divulgação) Na Creche André Luiz, crianças são atendidas em tempo integral, das 7h às 17h (Foto: Eliel Oliveira/Divulgação)

Há quase 40 anos, gerações de douradenses têm o início de sua formação educacional marcado por muito amor e aprendizado na Creche André Luiz. Fruto da generosidade de Dona Josephina Fernandes Capilé e de seu esposo Flamarion Capilé (in memorian), o espaço localizado na Rua Wlademiro do Amaral, número 225, na Vila Amaral, atende quase 300 crianças – filhos de pais que trabalham - de um ano e oito meses a cinco anos de idade em período integral, das 7h às 17h.

Construída com absoluto empenho do casal Capilé e ajuda de muita gente num terreno doado por Dona Adiles do Amaral Torres, a creche também teve o apoio do cantor Ney Matogrosso, que no início da década de 1980 fez um show em Bauru, São Paulo, e doou toda a arrecadação para aquela que seria a primeira creche de Dourados, inaugurada no dia 27 de dezembro de 1980.

DOAÇÃO AO PRÓXIMO

Desde então, essa entidade filantrópica, sem fins lucrativos, é sinônimo de excelência no ensino infantil. Com uma metodologia própria, tem até mesmo atendimento psicológico e garante também noções cívicas e de idioma estrangeiro, o mundialmente falado inglês.

Nada disso é por acaso. Trata-se de uma obra que nasceu da vida marcada pela doação ao próximo de Dona Josephina, uma valente senhora nascida em Corumbá, porém douradense de coração. Aos 82 anos, ela mantém o hábito e todas as manhãs recebe as crianças, uma por uma, com afago amoroso no portão de entrada. A cena se repete nas saídas. A retribuição dada pelos pequeninos, quase sempre, são pequenas flores amarelas que tiram ali mesmo, na calçada.

Dentro do bem cuidado prédio, uma qualificada equipe coordenada por Josephina e sua filha, Katye Beloto, a coordenadora pedagógica da creche, não deixa faltar nada. Logo cedo é servido o café da manhã. Depois das primeiras atividades, vem o almoço. E antes de voltarem para suas casas, as crianças recebem o lanche da tarde. Para pais e mães, a confiança é plena.

CONFIANÇA PLENA

"Minha filha de 7 anos, que está na segunda série, estudou aqui. Agora tenho uma de 5 anos que está fazendo o pré e tenho um bebezinho que entrou agora. Tenho confiança total, porque eu sei que deixando eles aqui estão bem cuidados, bem alimentados, têm a hora do soninho, hora do estudo. Eu vejo pela minha filha, ela ama as tias e a avó Josephina. A mais velha, que já está na escola, sempre quer vir aqui para ver as tias e a vó", afirma Samanta, uma das mães que tiveram a felicidade de obter vaga na Creche André Luiz.

Ao buscarem a filha Raíssa, de 3 anos, Raquel e Cristiano também demonstram gratidão e plena confiança no atendimento da creche. "É o primeiro ano dela aqui e já aprendeu muita coisa, principalmente em relação a comportamento, e também em relação à alimentação. Aqui a gente deixa a criança e sabe que está bem cuidada. É uma creche recomendável, de total confiança", afirmou Raquel, interrompida pela filha, que fez questão de ressaltar a vontade de fazer sua festinha de aniversário ali mesmo, na presença dos coleguinhas, tias e de Dona Josephina.

Com o filho de 2 anos e quatro meses em seus primeiros dias de creche, Antonio se diz tranquilo, afinal, foi nesse local, sob os cuidados de Dona Josephina, que seus netos também estudaram por anos. "O meu filho, Antonio, começou esse ano. Aqui é igual estar em casa. Meus netos foram criados aqui, passaram cinco anos na creche. É muito bom. Uma neta minha que estudou aqui fez cinco anos agora e foi para escola já sabendo escrever o nome dela completo, fazendo desenhos. Essa creche é muito boa", afirma.

Situação semelhante é relatada por Mario, pai do Samuel, de 4 anos, que está há três anos na Creche André Luiz. "Eles cuidam muito bem. Ele leva muito aprendizado para casa. O material é muito bom. Com quatro anos de idade ele já sabe ler e escrever. Fico na confiança porque a Dona Josephina é uma avó para as crianças. Quando o Samuel vai dormir, faz questão de rezar para a vozinha e para a creche também", detalha.

TRABALHO SÉRIO

A manutenção da Creche André Luiz é possível graças a doações da sociedade e a convênios. Como o poder público custeia apenas meio período, o atendimento em tempo integral é garantido com a cobrança, opcional para quem deseja manter seus filhos o dia todo no local, de um valor necessário estritamente para essa finalidade. Afinal, o propósito dessa entidade filantrópica é ajudar quem precisa.

Há 40 anos, antes mesmo da inauguração da Creche André Luiz, o casal Capilé, com auxílio de amigos douradenses, servia sopa para pessoas carentes na casa em que moravam, na Rua Quintino Bocaiúva, próximo da antiga rodoviária local. Foi nessa vivência que Dona Josephina observou o tanto de crianças vagando pelas ruas e decidiu colocar em prática o sonho de sua vida: dedicar-se ao atendimento educacional desses pequeninos.

Nessas quase quatro décadas, a seriedade e a qualidade do trabalho desenvolvido nessa entidade filantrópica têm atraído contribuições de pessoas que reconhecem o valor da Creche André Luiz, sempre de portas abertas e disposta a ajudar. O telefone de contato para quem deseja conhecer o local é o 3421-8123.


Envie seu Comentário