Dourados fecha 8,5 mil empregos e tem o pior desempenho do País

Dados do Caged colocam município como o que mais perdeu vagas com carteira assinada entre as 5.659 cidades analisadas

04/02/2019 09h34 - Por: Valéria Araújo


 
Foto: Hédio Fazan Foto: Hédio Fazan

A cidade de Dourados fechou mais de 8,5 mil vagas de emprego no ano de 2018. O número é do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) e mostra que o município teve o pior desempenho entre todas as cidades brasileiras na geração de empregos. Nesse período foram contratados 22.727 trabalhadores e demitidos 31.291, uma variação total de 8.564 postos de trabalho fechados.

O setor que mais demitiu foi o de serviços, com saldo negativo de 9.204 contratações. No acumulado do ano foram criadas 9.280 vagas e fechadas 18.484.

A construção civil também teve saldo negativo com 164 rescisões de contrato. Foram criadas 1.188 vagas contra 1.352 rescisões de trabalho. O setor industrial teve saldo positivo com a geração de 611 novos postos de trabalho, assim como o comércio, com 106 vagas.

De acordo com a secretária de Desenvolvimento Econômico do município, Rose Ane Vieira, os números alarmantes do Caged devem-se aos desligamentos pela ONG Missão Caiuás, prestadora de serviços da Secretaria Especial de Saúde Indígena. De acordo coma secretária, de agosto a dezembro cerca de 9.5 mil profissionais teriam sido demitidos.

O motivo seria o vencimento do contrato da então prestadora de serviços que contratava profissionais da Saúde em todo o Brasil. Como a ong é de Dourados, as contratações de todo o país, por meio dela eram contabilizadas no município, assim como as demissões.

Com uma nova licitação, a nova prestadora de serviço oriunda de outro estado ganhou e teria recontratado os profissionais. Os números das contratações teriam sido contabilizadas no estado de origem da nova contratada, segundo a secretária.

Segundo informações da Missão Caiuás repassadas para a Prefeitura, "foram demitidos 5 mil trabalhadores até o dia 31 de agosto e foram recolocados nos postos de serviços só no estado de Minas Gerais cerca de 4.5 mil a partir de 02 de setembro de 2018. Em São Paulo outros 500 trabalhadores no memo período e os demais funcionários demitidos. Em Mato Grosso do Sul, foram 765 trabalhadores demitidos em 31 de dezembro e recolocados, no último dia 02. Os demais trabalhadores foram recolocados e distribuídos entres outros Estados,a partir da mesma data".

A secretária Rose Ane alegou ainda que não houve entrada de seguro desemprego desses profissionais. Considerando que foram admitidos já no último dia 02. "Quando vimos os números do Caged fomos buscar a origem dos números e chegamos até a Missão caiuás, que é um órgão federal, que demitiu, mas que recontratou", destacou.


Envie seu Comentário