Dourados recebe 100 refugiados venezuelanos com apoio da ONU

04/02/2019 07h58 - Por: Valéria Araújo


Venezuelanos chegaram em Dourados neste domingo
Foto: Emanuel Ferreira
Venezuelanos chegaram em Dourados neste domingo
Foto: Emanuel Ferreira

Cerca de 100 venezuelanos que viviam atualmente em Boa Vista (RR) chegaram em Dourados na manhã deste domingo, por volta das 11h30. Eles foram recepcionados na Praça Antônio João por lideranças religiosas e almoçaram no salão paroquial da igreja Imaculada Conceição. Por volta das 13h foram levados para o Centro Social Rural São Vicente de Paulo da Igreja Católica no distrito de Indápolis. Lá, 78 deles permanecerão por 30 dias. O restante será acolhido em abrigos temporários articulados com a empresa e a sociedade civil até a obtenção de suas novas residências.

Após esse prazo já terão condições de arcar com as próprias despesas de moradia e alimentação, já que vão trabalhar em um frigorífico da cidade. Além disso, recebem uma ajuda de custo para suas necessidades iniciais oferecida pela Agência da ONU para Refugiados (ACNUR). A bolsa tem o objetivo de apoia-los no primeiro mês após a chegada à cidade de recepção.

O grupo deixou o alojamento na Força-Tarefa Logística Humanitária, em Roraima, "Operação Acolhida" do Exército Brasileiro, no sábado, (2) e chegou no aeroporto Internacional de Campo Grande por volta das 23h30. Na Capital do Estado, os imigrantes foram recepcionados pelo Comando Militar do Oeste e, na sequência, pernoitaram no 9º Grupamento Logístico. No início da manhã de ontem o grupo embarcou em três ônibus instituição com destino à Dourados.

De acordo com o exército essa é a maior interiorização já realizada pela Operação Acolhida na modalidade de vagas de emprego sinalizadas, já que os venezuelanos viajaram tendo vagas de emprego garantidas por uma empresa local.

Segundo ainda o Exército, essa é a primeira vez que o deslocamento ocorre com um voo fretado, que foi garantido pela Organização Internacional para as Migrações (OIM). A agência prevê outros voos como este, potencializando a capacidade de interiorização a fim de reduzir o impacto nas comunidades de acolhida em Roraima.

A transferência de mulheres, crianças e homens venezuelanos de Roraima para outros estados brasileiros é um dos eixos da Operação Acolhida, que reúne as Forças Armadas, diversos ministérios do governo federal, agências do Sistema ONU no Brasil e entidades da sociedade civil organizada.

A interiorização é um processo voluntário, no qual todos os beneficiários são previamente registrados pelo ACNUR, que também auxilia na obtenção da documentação necessária para a regularização desta pessoas no Brasil, juntamente com a OIM. A Operação Acolhida certifica-se de que cada indivíduo esteja devidamente vacinado e com seus exames de saúde atualizados.

Até o momento, cerca de 4.3 mil solicitantes de refúgio e migrantes venezuelanos já foram realocados para outras partes do país por meio da estratégia de interiorização promovida pelo governo federal.


Envie seu Comentário