Greve de vigilantes coloca em risco onda de furtos nos pátios do Detran

15/04/2019 16h58 - Por: Flávio Verão


Greve por tempo indeterminado começou nesta segunda-feira
Foto: Hedio Fazan Greve por tempo indeterminado começou nesta segunda-feira
Foto: Hedio Fazan

Trabalhadores da área de vigilância de empresa terceirizada do Detran-MS (Departamento Estadual de Trânsito) entraram em greve nesta segunda-feira (15) por tempo indeterminado. Eles decidiram cruzar os braços depois de dois meses sem receber os salários e de não haver sinal de quando vão ter em mãos o décimo terceiro salário. A paralisação dos funcionários coloca em risco principalmente os pátios onde milhares de veículos estão recolhidos. Furtos podem ocorrer nesse período de greve.

No domingo, em Dourados, um homem foi preso em um dos dois pátios que abrigam, juntos, 3,6 mil veículos. Flagrado com alicate em mãos, já tinha estourado o cadeado do portão e preparado para levar uma motocicleta Yamaha Fazer. O plano não deu certo, sendo pego pela Guarda Municipal. Diante da greve dos vigilantes, a tendência é a de que casos como esse passe a ser comum nesse período.

Conforme apurou a reportagem, somente o Detran de Dourados responde sindicância para tentar esclarecer o sumiço de três motocicletas. O desaparecimento só foi descoberto porque os donos dos veículos quitaram as pendências para retirar as motos. Isso demonstra que, sem controle, furtos podem estar ocorrendo nos pátios.

Pátios do Detran de Dourados têm cerca de 3,6 mil veículos apreendidos Pátios do Detran de Dourados têm cerca de 3,6 mil veículos apreendidos

O presidente do Sindicato dos Empregados em Empresas de Segurança e Vigilância de Dourados, Antônio Góes Ferreira, diz que 57 trabalhadores estão de braços cruzados. Desses, 22 são de Dourados e o restante de cidades que pertencem a base sindical – Ponta Porã, Antônio João, Bela Vista, Maracaju, Itaporã e Coronel Sapucaia. Todos são terceirizados da empresa Disp Segurança, que está com contrato de prestação de serviço prorrogado com o Detran até o dia 30 de junho. Uma licitação para contratação de empresa para o mesmo serviço está em andamento.

Conforme o presidente do Sindicato, além de salários de fevereiro e março atrasados e o décimo terceiro, a Disp não tem cumprido com o recolhimento do FGTS. "Essa problemática é recorrente, ainda assim a empresa mantém contrato de prestação de serviços com o Detran ao longo de pelo menos 10 anos", disse à reportagem. Nesta década o contrato de prestação de serviço vem sendo renovado com o Detran. A greve por tempo indeterminado dos vigilantes é preocupante, pois traz prejuízo à segurança dos servidores do Detran bem como aos pátios onde estão apreendidos os veículos. No Estado, além da Disp, há outra empresa que presta o mesmo serviço ao órgão de trânsito.

Ontem, os trabalhadores protestaram de forma pacífica em frente ao Detran em Dourados. Antônio Góes disse ainda que o Ministério Público do Trabalho (MPT) já conhece o caso e um TAC (Termo de Ajustamento e Conduta) já foi assinado pela empresa, ainda assim os problemas persistem. "Sinalizaram pagamento de um salário, mas a categoria quer uma proposta concreta para todas as pendências", avisou o presidente da categoria, informando que, caso ocorra o pagamento de fevereiro, a greve vai continuar. O Sindicato já acionou também o Tribunal Regional do Trabalho (TRT24), com sede em Campo Grande, na tentativa de que haja uma mediação entre as partes.

A reportagem questionou o Detran se os repasses do órgão à Disp estão em dia e o que teria motivado o consecutivo atraso de salário. A assessoria se limitou a informar que "o dinheiro foi repassado para a empresa na última sexta-feira (12) e que, normas contratuais, indicam que a empresa contratada precisaria ter uma saúde financeira para arcar com as despesas pelo período de três meses caso houvesse algum atraso".


Envie seu Comentário