MEC corta milhões em recursos para Instituto e Universidades Federais de MS

03/05/2019 12h22 - Da redação


O Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso do Sul também sofreu cortes de recursos federais. De acordo com a instituição, o montante é de R$ 16.948.528,00 a menos do que foi previsto na Lei Orçamentária Anual de 2019 (LOA) que era de R$ 40.356.527,00. O corte representa em torno de 42% do orçamento discricionário do instituto.

Já na UFGD (Universidade Federal da Grande Dourados) o corte afetou cerca de 30% do orçamento. Em nota, a universidade diz que está preocupada com o cumprimento de sua missão e visando o apoio ao ensino, pesquisa e extensão. Somente esse corte do valor aprovado na Lei Orçamentária anual afetará aproximadamente R$ 12,4 milhões, para despesas de custeio (despesas de funcionamento, administrativas, bolsas etc.) e investimento (construções, aquisição de equipamentos, livros etc.).

A Federal douradense ainda lembra que no início do mês de abril foi bloqueado o orçamento referente à Emenda Parlamentar voltada à investimentos em aquisição de equipamentos de laboratório, móveis, obras e demais despesas de investimentos, no valor montante aproximado de R$ 19 milhões, totalizando assim, R$ 31,3 milhões bloqueados pelo Governo Federal.

A UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) também teve recursos cortados. Segundo nota da UFMS, o MEC já confirmou o bloqueio de R$29.784.641,00, sendo R$ 28.788.728,00 de custeio e R$ 995.913 de investimento para o exercício 2019.

De acordo com o reitor da UFMS, Marcelo Turine, a redução atinge a manutenção e o funcionamento de toda a UFMS e vai afetar o fomento aos projetos de ensino, pesquisa, extensão, empreendedorismo e inovação.

"Vamos ter de nos unir mais, repensar todos os editais de apoio e criar estratégicas criativas e inovadoras para manutenção do funcionamento da nossa UFMS", disse.


Envie seu Comentário