MPE divulga nomes dos 60 envolvidos na Uragano

 
Promotor Paulo Zeni durante coletiva. foto - Hedio Fazan/arquivo Promotor Paulo Zeni durante coletiva. foto - Hedio Fazan/arquivo

O Ministério Público Estadual divulgou os 60 nomes dos envolvidos na Operação Uragano. Na última segunda todos foram denunciados.

São políticos, funcionários públicos do executivo e legislativo além de empresários do município.

A denúncia foi feita com base no inquérito instaurado pela Polícia Federal durante a operação Uragano. No documento enviado à Justiça cada denunciado responde por um ou mais crimes.

Conforme a denúncia assinada pelos Promotores de Justiça da Comarca de Dourados, Paulo César Zeni, Claudia Loureiro Ocáriz Almirão, Cristiane Amaral Cavalcante e Amílcar Araújo Carneiro Júnior, os denunciados irão responder pelos crimes de corrupção ativa, corrupção passiva, fraude a licitação, dispensa indevida de licitação, falsidade ideológica, crime contra as relações de trabalho e formação de quadrilha.

O grupo agia oferecendo pagamento de vantagens indevidas aos agentes públicos envolvidos nos ilícitos, bem como o favorecimento de pessoas e empresas mediante direcionamentos na contratação para a aquisição de bens ou serviços, para a execução de obras para o município.

A Promotoria de Justiça de Dourados requereu a citação dos denunciados para responderem à acusação.

Os promotores pediram também que os réus sejam condenados a devolver os valores ilicitamente desviados em prejuízo do erário, devidamente atualizados, para a reparação dos danos decorrentes dos crimes.

MPE denunciou as seguintes pessoas

Ademir de Souza Osiro; Adilson de Souza Osiro; Alziro Arnal Moreno (Procurador-Geral do Município); Antônio Fernando de Araújo Garcia; Arnaldo de Souza Osiro; Aurélio Luciano Pimentel Bonatto (Vereador); Aureo Garcia Ribeiro Filho; Bruno de Macedo Barbato; Carlos Gilberto Recalde; Carlos Roberto Assis Bernardes “Carlinhos Cantor” (Vice-Prefeito de Dourados); Carlos Roberto Felipe (Representante em Dourados da Construtora Financial) Celso Dal Lago Rodrigues; Claudio Marcelo Machado Hall - Secretário de Serviços Urbanos; Darci Caldo; Dilson Cândido de Sá (Secretário de Obras); Dilson Deguti (Secretário Adjunto de Saúde); Dirceu Aparecido Longhi (Vereador); Edmar Reiz Belo; Edmilson Dias de Morais; Edson Freitas da Silva; Eduardo Takachi Uemura; Edvaldo de Melo Moreira (Vereador); Eliezer Soares Branquinho; Elton Olinski Farias (Gestor de Compras da Prefeitura); Fábio Andrade Leite; Geraldo Alves de Assis; Gilberto de Andrade; Gino José Ferreira; Hilton de Souza Nunes; Humberto Teixeira Júnior (Vereador); Ignez Maria Boschetti Medeiros (Secretária de Finanças) João Eder Kruger (Controlador-Geral do Município); Jorge Hamilton Marques Torraca; José Antonio Soares; José Carlos Cimatti Pereira (Vereador); José Carlos de Souza “Zezinho da Farmácia” (Vereador); José Humberto da Silva (Engenheiro da Prefeitura); José Roberto Barcelos (Ex-Chefe do Setor de Licitações da Prefeitura Municipal de Dourados); Júlio Luiz Artuzi “Tio Júlio” (Vereador); Leandro Carlos Francisco (Funced); Marcelo Luiz Lima Barros (Vereador); Marcelo Marques Caldeira; Marcelo Minbacas Saccol; Márcio José Pereira; Marco Aurélio de Camargo Areias; Maria Aparecida de Freitas (Coordenadora de Políticas Públicas da Mulher); Marlene Florencio de Miranda Vasconcelos (Ex-Secretária de Educação - atualmente Assessora da Prefeitura); Nerone Maiolino Júnior; Paulo Ferreira do Nascimento; Paulo Henrique Amos Ferreira “Bambu” (Vereador); Paulo Roberto Nogueira; Paulo Roberto Saccol; Rodrigo Ribas Terra; Romaci Venâncio da Silva; Selmo Marques de Oliveira, “Maninho” (Sidlei Alves da Silva (Vereador); Sidnei Donizete Lemes Heredias; Tatiane Cristina da Silva Moreno (Secretária de Administração); Thiago Vinicius Ribeiro; Valmir da Silva

Os detalhes e o modus operandis de cada conduta delituosa apontada na denúncia são temas que são protegidos pelo segredo de justiça. O MPE requereu o levantamento do sigilo de justiça e tão logo, o mesmo seja autorizado pelo Poder Judiciário, os fatos serão levados ao conhecimento público para o pleno exercício de liberdade de imprensa.(www.mp.ms.gov.br)