Produtos da agricultura familiar com preços em queda têm desconto de até 69% em financiamento

14/03/2019 12h09 - Por imprensa@agricultura.gov.br


 
Ronaldo Rosa/Embrapa / Açaí é um dos produtos que tiveram queda de preço Ronaldo Rosa/Embrapa / Açaí é um dos produtos que tiveram queda de preço

Agricultores familiares de 20 estados, que cultivam de produtos que tiveram queda de preço, terão desconto no pagamento do crédito do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) no mês de março.

Em portaria (1.067) publicada na segunda-feira (11), a Secretaria de Política Agrícola do Ministério da Agricultura divulgou a lista de culturas contempladas pelo Programa de Garantia de Preços para a Agricultura Familiar (PGPAF).

A dedução vale para o período de 10 de março a 9 de abril e tem como referência os preços praticados no mercado em fevereiro.

Os produtos com bônus neste período são: açaí (fruto), alho nobre, arroz em casca natural, babaçu (amêndoa), banana, borracha natural cultivada, cacau (amêndoa), castanha de caju, feijão caupi, leite, manga, maracujá, mel e raiz de mandioca.

Os estados que apresentam o bônus de desconto deste mês são Acre, Alagoas, Amapá, Amazonas, Bahia, Ceará, Espírito Santo, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe e Tocantins.

O feijão caupi tem bônus em cinco estados, sendo de 69,59% no Tocantins (o maior desconto da tabela); 52,69%, no Piauí; 36,91%, no Pará; 26%, no Maranhão; e 25,05% no Mato Grosso.

Já o açaí terá desconto de 24,38% no Amapá e 21,25% no Acre.

O babaçu tem desconto em quatro estados, sendo 50,66% no Tocantins e 35,53% no Maranhão. Cesta de produtos

Agricultores familiares que têm parcelas de operações de investimento do Pronaf terão desconto correspondente à média dos bônus do feijão, leite, mandioca e milho (cesta de produtos), concedidos mensalmente pelo programa.

Em março, cinco estados terão bônus, com base na cesta. São eles: Alagoas (6,88%), Ceará (4,53%), Paraíba (3,60%), Pernambuco (5,87%) e Espirito Santo (5,37%).

A medida do Governo Federal visa garantir a sustentação de preços da agricultura familiar, estimular a diversificação da produção agropecuária e articular as diversas políticas de crédito e de comercialização agrícola.


Envie seu Comentário