Venezuela: chavismo busca intermédio externo para superar conflito político

O presidente da Venezuela Nicolás Maduro demonstra estar abrindo possibilidades para um possível diálogo com a oposição política.

O ministro das relações exteriores, Jorge Arreaza, cedeu nesta segunda-feira (8) uma declaração a imprensa alegando que Juan Guaidó passou por cima dos outros quatro poderes do Estado. Alegou que o controle do congresso não valida controle sobre os outros pilares do poder.

Os países que possuem alianças políticas com a Venezuela podem servir de ponte moderadora do possível diálogo que se aproxima. México e Uruguai são as nações mais visadas em relação a essa ação diplomática. A Caricom (Comunidade e Mercado Comum do Caribe, que reúne 15 países e 5 territórios associados), também pode servir de fonte mediadora do conflito.

O posicionamento do ministro é de equilibrar o problema. As opções, em sua opinião, é o Mecanismo de Montevidéu e o Grupo de Contato, formado por países representantes da União Européia. ''O Grupo de Contato esteve na Venezuela duas vezes. Estive reunidos com seus integrantes e eles também tiveram encontros com chefes de poderes público, como a presidenta do Conselho Nacional Eleitoral".

"O mecanismo de Montevidéu é uma proposta do Uruguai, México e Caricom, de abrir um diálogo. Eles dizem que sentem um muro na oposição venezuelana, que não quer dialogar. Mas seguramente existem integrantes da oposição que quer resolver os problemas entre venezuelanos", afirmou.

O Governo venezuelano acredita que o mecanismo de Montevidéu é o mais apropriado para tal mediação. Maduro afirma que quanto maior a imparcilidade, melhor.



Envie seu Comentário