Cientistas buscam melhorar tolerância do arroz

11/10/2018 12h00 - Por Agrolink


 
Agrolink Agrolink

Um estudo conduzido pelo professor Guy Kirk, da Cranfield University, do Reino Unido, irá avaliar as características que permitem que variedades de arroz africanas tolerem a toxicidade do ferro, para essas características sejam aplicadas em variedades de alto rendimento.

De acordo com ele, a necessidade no aumento de produção de alimentos a nível global é notável e o arroz foi escolhido por ser o alimento mais consumido no mundo.

Nesse cenário, a África é o continente que mais sofre com o problema da insegurança alimentar e também é um local com uma grande quantidade de terra não produtiva. Assim, esses estudos seriam fundamentais para que pudesse se produzir mais e com melhor qualidade na África.

"Há um reconhecimento generalizado da necessidade de aumentar a produção de arroz da região subsaariana para atender ao aumento estimado na demanda por arroz.

Se a produtividade pudesse ser aumentada, menos de 10% da área total atual seria necessária para atender a demanda por arroz na África", comenta.

Ainda segundo o professor, a equipe também tentará mapear áreas nas quais novas variedades de arroz terão mais chance de produzir dentro desse local.

Os pesquisadores britânicos vão trabalhar em conjunto com agrônomos e outros profissionais da África Ocidental e Madagascar.

"Até agora, tem sido um desafio inatingível, pois estão cultivando variedades de baixa produtividade com má gestão, que está destruindo grandes áreas de ecossistemas naturais nos vales interiores.

Com melhorias realistas em variedades e manejo, poderia reduzir a quantidade de terra necessária e, portanto, conservar a biodiversidade vital dos vales interiores africanos", comenta.


Envie seu Comentário