Trabalhadores e estudantes protestam contra cortes na educação

15/05/2019 11h40 - Por: Flávio Verão


Concentração ocorreu na praça Antônio João Concentração ocorreu na praça Antônio João

Professores da rede pública de Dourados e estudantes aderiram à paralisação nacional que acontece hoje em todo o Brasil. A categoria protesta contra a Reforma da Previdência e os cortes anunciados nas universidades.

Em Dourados o Sindicato Municipal de Trabalhadores em Educação (Simted), com o apoio de outras entidades ligadas à educação, organizou ato público no período da manhã na praça Antônio João. Centenas de pessoas participaram do ato.

O presidente da entidade do Simted, Juliano Mazzini, disse que toda a rede municipal, estadual, além do Instituto Federal e universidades estão engajadas no movimento. A comunidade indígena também participou da paralisação de um dia.

De acordo com o membro do Fórum Estadual de Educação Indígena, o terena Jamir Freitas, os cortes na Educação anunciados pelo Governo Federal podem impactar diretamente na educação indígena. Conforme ele, a comunidade acredita que os cursos de alternância da Faculdade Indígena estão ameaçados.

"Se a educação indígena for prejudicada, o furturo da nossa aldeia será se tornar uma grande favela, com pessoas sem perspectiva de vida e aumento da violência", destaca, observando que a comunidade está disposta a iniciar onda de bloqueios nas rodovias se o Governo Federal não voltar atrás das decisões que tem tomado em relação a educação pública.


Envie seu Comentário