08/08/2012 11h01 - Atualizado em 08/08/2012 11h01

Polícia conclui inquérito sobre a morte da adolescente Thalia, de 14 anos

 
Renan Nucci
 
Vítima morreu 'esmagada' pelo veículo durante capotamento. (Foto: Dourados Agora) Vítima morreu 'esmagada' pelo veículo durante capotamento. (Foto: Dourados Agora)

A Polícia Civil de Dourados concluiu inquérito sobre o caso do acidente que resultou na morte da adolescente Thalia Correa Delane, de 14 anos, ocorrido no início da manhã do dia 30 de junho, próximo ao “Monumento ao Colono”.

Na ocasião, o namorado da jovem, Wagner Bueno Lopes, de 18 anos, dirigia um GM Corsa, quando perdeu o controle da direção e o carro capotou, caindo sobre a vítima que sofreu traumatismo craniano e fratura no pescoço, morrendo na hora.

“Uma outra pessoa envolvida no episódio, a adolescente de 16 anos que era uma das passageiras do veículo, confessou em depoimento que o motorista havia ingerido bebida alcoólica e inclusive teria oferecido às menores”, explicou o delegado Rinaldo Gomes Moreira em entrevista ao Dourados Agora na manhã desta quarta-feira (8).

Em seu relato, a jovem disse que estava em casa por volta das 3 horas da madrugada do acidente, quando recebeu uma ligação do casal que acabara de deixar uma festa sertaneja, convidando-a para dar uma volta. “Ela disse que os dois chegaram com uma garrafa de uísque e refrigerante”, disse o delegado.

O grupo então partiu de carro pela cidade e parou na “Mão do Braz” para beber e tirar fotos. Logo em seguida eles decidiram deixar o local, no momento em que aconteceu o acidente. Algumas testemunhas afirmaram que Thalia estava com parte do corpo para fora da janela do veículo antes capotamento.

“Os peritos analisaram as imagens da câmera fotográfica do grupo e constataram que as roupas que a garota utilizava no momento da morte, eram as mesmas que ela trajava quando as fotos foram tiradas, ou seja, instantes antes, entre as 03h51 e 04h36. As provas são incontestáveis, já que eles foram retratados ingerindo bebidas alcoólicas”, salientou Rinaldo.

CONDENAÇÂO

Logo após o acidente, Wagner acabou levado ao 1° Distrito Policial, onde foi autuado em flagrante, ouvido e liberado mediante pagamento de fiança. Ele será indiciado por homicídio culposo e por dirigir embriagado; se condenado, poderá pegar até quatro anos de prisão. “O trabalho de investigação foi concluído com êxito e encaminhado à Justiça que dará o desfecho”.

Fotos mostram envolvidos segurando bebidas alcoólicas. (Foto: Divulgaçã/Polícia Civil) Fotos mostram envolvidos segurando bebidas alcoólicas. (Foto: Divulgaçã/Polícia Civil)

Envie seu Comentário