21.6 C
Dourados
quarta-feira, 8 de dezembro de 2021

Academia de Letras promove Festa do Folclore

- Publicidade -

22/08/2019 13h39 – Jornal O Progresso

A Academia Douradense de Letras (ADL), promove a Festa do Folclore. O evento alusivo a data comemorada neste 22 de agosto acontece amanhã a partir das 19h no Parque dos Ipês.

A programação será composta de atrações voluntárias como declamações de poemas, cantigas, danças, contação de causos. A participação é aberto a todos que pode contribuir levan-do pratos típicos como ar-roz carreteiro, sopa paragu-aia, chipa, cuca e outras delícias e também um ob-jeto antigo podendo ser utensílio, roupa, brinque-dos, fotos. “Quem quiser ir vestido com um persona-gem ou com roupa típica de nosso folclore, será bem vindo. Conto com a presen-ça e a colaboração de todos para não deixar morrer nos-sas tradições e nossas ri-quezas culturais”, ressalta Odila Lange, que é coorde-nadora da Festa.

Ela que é escritora e espe-cialista nos conjuntos das tradições culturais do Fol-clore, aponta diversas ma-nifestações artísticas pre-sentes no cotidiano de Dourados. “Temos as dan-ças do Centro de Tradições Gaúchas (CTG) Querência do Sul, as festas juninas com suas quadrilhas, os tocadores de viola com mú-sicas da terra, as festas dos japoneses no Clube Nipôni-co, pinturas e enfeites das ruas na festa de Corpus Christi, os festejos dos pa-raguaios com danças e mú-sicas, desafios apresentados pela dupla Oxente & Tchê, as contações de histórias e por aí afora”, cita.

Para Odila, as escolas podem desenvolver múlti-plas atividades curriculares, com o tema Folclore. “Fa-zendo oficinas de brinque-dos caseiros, ensinar canti-gas de roda, folguedos e brincadeiras infantis, visita ao Museu de Dourados, pedir para as crianças entre-vistarem seus avós ou pes-soas mais idosas, exposição de fotografias antigas, con-fecção de bonecas de pano, visita à aldeia indígena para ver hábitos e costumes da-quele povo e conhecer o artesanato indígena, dentre outras inúmeras atividades”, sugere Lange, que é autora do livro de poesia gauches-ca, “Rodeio de Versos”; “Folclore ou folclore?” que está na segunda edição e foi editado pelo Fundo de In-vestimentos Culturais (FIC), além de vários folhetos de cordel.

Identidade

Folclore é a cultura de um povo, o conjunto das tradições culturais dos co-nhecimentos, crenças, cos-tumes, danças, canções e lendas dos indivíduos de determinada nação ou loca-lidade.

O termo folclore se origi-nou por meio de um neolo-gismo criado pelo britânico William John Thoms (1803-1885), que uniu as palavras inglesas folk (que significa “povo”) e lore (que quer dizer “conhecimento”). Assim, folclore ganha o si-gnificado literal de “conhe-cimento do povo” ou “aquilo que o povo faz”.

O Dia do Folclore Brasi-leiro foi instituído por in-termédio do Decreto de Lei nº 56.747, de 17 de agosto de 1965, aprovado pelo Congresso Nacional. A par-tir de então, conforme defi-nia a lei, o dia 22 de agosto passou a ser celebrado como o Dia do Folclore em todo o país.

A data foi escolhida por-que em 22 de agosto de 1846, o pesquisador britâni-co William John Thoms usou esta palavra pela pri-meira vez num artigo.

A preocupação em sis-tematizar e divulgar o fol-clore brasileiro ganhou for-ça no começo do século XX. Durante a Semana de Arte Moderna, em 1922, diversas obras apresentadas tiveram como mote o folclore do Brasil.

Danças no Centro de Tradições Gaúchas (CTG) são manifestações artísticas do folclore . (Foto: Marcos Ribeiro)

Veja também

- Publicidade -

Últimas Notícias

- Publicidade -
- Publicidade -

Últimas Notícias

- Publicidade-