27.6 C
Dourados
quarta-feira, 8 de dezembro de 2021

Em debate, Bitto reafirma compromisso com a advocacia: “eu enfrento desafios, não renuncio”

- Publicidade -

Em debate promovido pela rádio CBN Campo Grande, o advogado Bitto Pereira foi o candidato que apresentou as melhores propostas aos advgados, e também fez um balanço de sua atuação como conselheiro federal, e teve a oportunidade de responder ataques recebidos da uma das candidatas adversárias. Na avaliação dos eleitores, Bitto venceu o debate na manhã desta quinta-feira (11).
Participaram do debate, além de Bitto, as candidatas Giselle Marques e Rachel Magrini.


Bitto Pereira, ao responder pergunta da entrevistadora Danielly Escher, disse que vai intensificar a gestão junto ao Tribunal de Justiça, para pôr fim ao problema de comarcas no interior do Estado sem juízes. “Estou trabalhando muito para continuar tendo esse diálogo, sempre com serenidade, e sem subserviência, buscando que todas as vagas sejam preenchidas”, afirmou o candidato.


Bitto Pereira também reforçou seu legado de trabalho à advocacia, lembrando que trabalha para a Ordem dos Advogados do Brasil desde o período em que era jovem advogado, tendo presidido a Comissão da Jovem Advocacia. De lá para cá, atuou voluntariamente como advogado da Ordem, e desempenhou várias funções na instituição, sendo que atualmente é conselheiro federal e vice-presidente da Escola Superior de Advocacia Nacional (ESA). “O que me traz é uma trajetória de mais de 20 anos de dedicação às nobres causas da advocacia e do trabalho intenso da OAB”.

Renúncia nunca mais
A opositora ainda tentou associar Bitto Pereira ao apoio de políticos ligados ao governo e prefeituras, e o candidato da chapa Mais OAB foi taxativo: “tenho apoio da advocacia sul-mato-grossense. Sou advogado há 22 anos e trabalho pelas nobres causas da advocacia”.


Bitto ainda completou, lembrando que cumpre seus mandatos até o fim. “Eu jamais renunciaria, eu enfrento desafios”, ao lembrar que, como conselheiro participou do esforço para que o projeto que criminaliza a violação às prerrogativas se tornasse lei federal. “É uma das maiores conquistas da advocacia dos últimos 20 anos”, ressaltou Bitto.

Paridade de verdade
Ao final do debate, Bitto Pereira agradeceu ao convite e a oportunidade de levar suas propostas, debater ideias e ainda a rebater ataques que vem recebendo de uma das adversárias.


“Fazemos paridade de verdade, não paridade fictícia. A participação efetiva e igualitária, com advogadas e advogados”, frisou.


Bitto também lembrou que ao longo dos últimos seis anos, em seu mandato de conselheiro federal e durante a gestão de Mansour Karmouche, ajudou a deixar a Seccional Mato Grosso do Sul da OAB no azul, sem dívidas.


Bitto ainda destacou que, para ele, é uma honra participar destas eleições, e que continuará trabalhando em prol da advocacia. “Por isso peço aos advogados para que votem em nossa chapa, Mais OAB, número 22”, concluiu.

Veja também

- Publicidade -

Últimas Notícias

- Publicidade -
- Publicidade -

Últimas Notícias

- Publicidade-