22.2 C
Dourados
sábado, 22 de janeiro de 2022

Ministério da Saúde reforça importância dessa ação que salva milhares vidas

- Publicidade -

Gesto simples de amor e solidariedade que salva vidas. Uma única doação de sangue, que é insubstituível e essencial para o corpo, pode salvar até quatro pessoas. Para reforçar a importância dessa ação, o Ministério da Saúde celebrado, na última quinta-feira (25), o Dia Nacional do Doador de Sangue.

A data foi instituída em 1964 e o mês de novembro escolhido por preceder um período de estoques baixos, a proximidade das férias, de datas comemorativas de fim de ano, carnaval e outros períodos de feriados prolongados.

Esse ano, a data vem marcada pelos desafios adicionais que os hemocentros do Brasil enfrentaram durante a pandemia. A doação de sangue não traz riscos adicionais quanto à Covid-19 e a perda de hemácias (células do sangue) não compromete a imunidade. Mesmo quem já vacinou contra a Covid-19 pode doar sangue normalmente. Basta esperar um período que varia de acordo com o imunizante aplicado. Aqueles que tomaram a Coronavac precisam esperar 48 horas antes de doar. Já os que foram vacinados com Astrazeneca, Pfizer ou Janssen podem fazer a doação depois de 7 dias.

Além disso, os hemocentros estão preparados e seguem rigorosamente todos os protocolos de segurança para prevenir os candidatos à doação e os profissionais de saúde, com atendimentos, inclusive, com hora marcada. Em 2020, em relação a 2019, houve queda de 10% no número de coletas de sangue por conta da pandemia. Mesmo assim, não houve registros de desabastecimentos, apesar de alguns estoques terem entrado em estado de alerta.

O sangue doado é utilizado no tratamento de pessoas com doenças hematológicas variadas, como doença falciforme e talassemia, além de doenças crônicas, como câncer, pessoas que se submetem a cirurgias eletivas de grande porte, transplantes e para situações de urgências, emergências e calamidades. Além disso, durante a semana do Dia Nacional do Doador de Sangue, os serviços de hemoterapia de todo o país também estão mobilizados em campanhas locais para o fortalecimento da doação de sangue nos estados e municípios. O objetivo é agradecer e fidelizar os doadores regulares pelo ato solidário, além de sensibilizar que novas pessoas procurem um dos 107 hemocentros espalhados pelo país para doar sangue, mantendo todos os estoques em níveis seguros ao longo de todo o ano e não apenas em datas específicas.

Atualmente, no Brasil, cerca de 1,4% da população, ou 14 pessoas a cada mil habitantes, doam sangue. Embora o percentual esteja dentro dos parâmetros recomendados pela Organização Mundial da Saúde (OMS), de que pelo menos 1% da população seja doadora de sangue, o Ministério da Saúde trabalha constantemente para promover a conscientização das pessoas e aumentar esse índice. Quanto mais pessoas doando melhor e maiores as chances de manter os estoques de sangue sempre em níveis seguros.

QUEM PODE DOAR?

Uma pessoa adulta tem em média cinco litros de sangue e em uma doação são coletados no máximo 450 ml. É pouco para você e muito para quem precisa! Você passará por uma entrevista que tem o objetivo de dar maior segurança ao processo. Todo sangue doado é separado em diferentes componentes (hemácias, plaquetas e plasma) e assim poderá beneficiar mais de um paciente com apenas uma unidade coletada. Os componentes são distribuídos para os hospitais para atender aos casos de emergência e aos pacientes internados.

  • No Brasil, pessoas entre 16 e 69 anos podem doar sangue.
  • Para quem tem entre 16 e 18 anos é necessário ter consentimento dos responsáveis.
  • Candidatos com idades entre 60 e 69 anos só podem doar se já tiverem doado antes dos 60.
  • É preciso pesar no mínimo 50kg e estar em bom estado de saúde.
  • O candidato deve estar descansado, não ter ingerido bebidas alcoólicas nem fumado nas 12 horas anteriores à doação.
  • O candidato à doação não pode estar em jejum.
  • A frequência máxima admitida é de quatro doações anuais para o homem e de três doações anuais para a mulher.
  • O intervalo mínimo entre doações deve ser de dois meses para os homens e de três meses para as mulheres.
  • A doação de sangue deve ser 100% voluntária, altruísta e não remunerada (direta ou indiretamente), independentemente do parentesco.

Agora que você entende a importância deste ato de solidariedade, faça a sua parte. Vá ao hemocentro mais próximo e doe sangue regularmente. Vidas dependem de você e você, ou algum familiar ou conhecido, também pode depender da doação de sangue em algum momento.


Ministério da Saúde

Veja também

- Publicidade -

Últimas Notícias

- Publicidade -
- Publicidade -

Últimas Notícias

- Publicidade-