32.9 C
Dourados
quinta-feira, 20 de janeiro de 2022

Comunidade indígena sofre com a falta de medicamentos

- Publicidade -

A comunidade indígena de Dourados sofre com a falta de medicamentos nos postos de saúde. A escassez de remédios vem ocorrendo desde o início do ano e não há informações de quando haverá restabelecimento.

A reportagem esteve na aldeia indígena Jaguapiru e conversou com pacientes. “Esse problema vem acontecendo desde o início do ano. A gente vai no posto e nunca tem”, disse a Guarani Caiuá Angélica, que faz tratamento de ansiedade. 

Ela conta que tem aguardado a chegada de remessa de remédios. “Não tem o mais simples, como dipirona, para dor de cabeça. O alimento já ata caro e é difícil pra comprar, imagina medicamento. A gente está sem resposta”, relatou. 

Dourados tem a maior Reserva Indígena urbana do País. São cerca de 18 mil indígenas espalhados entre as aldeias Jaguapiru e Bororó. A quantidade de população é maior que muitos municípios sul-mato-grossenses. 

Não é de hoje que a comunidade indígena enfrenta problemas. Um dos mais graves é a falta d’água. As aldeias possuem um sistema de encanamento bem frágil e são abastecidas com água que vem de reservatório. Este reservatório é abastecido com poço artesiano, contudo a bomba que puxa a água sempre estraga e leva semanas para ser consertada.  

Outro problema é que não há vasão e a água não chega em todas as residências. Com isso, indígenas são obrigados a pegar água em açudes, locais bastante frequentado por animais. 

A reportagem entrou em contato com a Sesai (Secretária de Saúde Indígena) de Dourados, mas foi informada que o responsável pelo setor, Adalberto, estaria em reunião e não poderia atender.

Veja também

- Publicidade -

Últimas Notícias

- Publicidade -
- Publicidade -

Últimas Notícias

- Publicidade-