16.5 C
Dourados
sábado, 2 de julho de 2022

Comissão externa pretende atualizar diagnóstico sobre queimadas no País

- Publicidade -

Fonte: Agência Câmara de Notícias

A comissão externa da Câmara dos Deputados sobre as queimadas nos biomas brasileiros aprovou na terça-feira (19) a realização de oito audiências públicas, dando continuidade aos trabalhos iniciados em 2020. A ideia é atualizar e complementar os diagnósticos feitos e incluir o tema na agenda eleitoral.

“O período chuvoso foi mais forte do final do ano até agora, o que não significa a recomposição ambiental, especialmente no Pantanal, a origem desta comissão. Em torno de 50% das águas de que o Pantanal precisa ainda não chegaram até lá”, disse a coordenadora do colegiado, deputada Professora Rosa Neide (PT-MT).

No plano de trabalho deste ano, está previsto um debate sobre a mortandade de vertebrados no Pantanal, em complemento ao relatório elaborado pela comissão em 2020. O texto de 300 páginas concluiu que a maioria dos incêndios em 33 mil quilômetros quadrados “teve origem em alguma forma de ação humana”.

A primeira audiência pública de 2022 está marcada para 19 de maio e tratará da situação dos direitos humanos em relação a povos indígenas e comunidades tradicionais nos biomas Amazônia, Cerrado e Pantanal. Segundo Rosa Neide, a devastação ambiental impactou vários desses grupos.

O deputado Nilto Tatto (PT-SP) defendeu os trabalhos da comissão externa. “Há hoje uma liberdade para o crime ambiental, sejam queimadas, desmatamento e ou invasões garimpeiras em áreas indígenas”, afirmou. “Pelo tamanho das balsas apreendidas percebe-se claramente que por trás tem capital muito forte”, disse.

Comentários do Facebook

Veja também

- Publicidade -

Últimas Notícias

- Publicidade -
- Publicidade -

Últimas Notícias

- Publicidade-