15.8 C
Dourados
sábado, 2 de julho de 2022

Doenças cardiovasculares aumentam até 30% nos períodos mais frios do ano

- Publicidade -

Por Ministério da Saúde

Oinverno é conhecido como a estação onde há aumento nos casos de doenças respiratórias, mas não é só esse o ponto de atenção com a saúde durante a época do frio. Dados do Instituto Nacional de Cardiologia apontam que a ocorrência de Infarto Agudo do Miocárdio pode aumentar entre 7% e 9% a cada 10°C de queda na temperatura, especialmente em temperaturas abaixo de 14°C. Nesse período do ano, a incidência casos de IAM pode crescer 30% e até 20% entre os casos de Acidente Vascular Cerebral.

Em 2021, houve aumento no registro de casos de doenças do coração entre os meses de junho e setembro, representando 36,8% do total de internados no ano, segundo o Sistema de Informações Hospitalares do Sistema Único de Saúde (SIH/SUS).

Mas por que isso acontece?

Quando há grande queda da temperatura, o corpo humano passa por uma termorregulação, um mecanismo para regular a temperatura corporal para mantê-la em equilíbrio. A vasoconstrição, que faz parte desse processo, provoca a contração dos vasos sanguíneos e, consequentemente, o aumento da pressão sanguínea, evitando a perda excessiva de calor. Com a queda brusca da temperatura ambiente, a vasoconstrição nos vasos do coração pode resultar em infarto, angina (dor no peito) e até mesmo na morte súbita.

Por isso, no inverno, é importante estar bem agasalhado, manter a prática regular de atividade física e hábitos alimentares saudáveis, evitar o tabagismo e reduzir o consumo de álcool. Estas orientações valem principalmente para aquelas pessoas que já possuem fatores de risco para doenças cardiovasculares, como hipertensão arterial e diabetes.

É importante, ainda, manter o acompanhamento dessas condições crônicas, procurando uma Unidade Básica de Saúde mais próxima, para o adequado controle dos níveis pressóricos e glicêmicos. As doenças cardiovasculares podem ocorrer em qualquer estação do ano e todos os cuidados devem ser contínuos.

Comentários do Facebook

Veja também

- Publicidade -

Últimas Notícias

- Publicidade -
- Publicidade -

Últimas Notícias

- Publicidade-