Operação contra cartel do tráfico de armas prende dois em Dourados e na Capital

A facilidade com que armamento pesado é encontrado para venda no interior do Paraguai tem levado muitas pessoas ao tráfico de armas, que são utilizadas em grandes assaltos e também pelas quadrilhas de roubos a bancos

04/12/2018 07h01 - Por: Elvio Lopes


 
Policiais rodoviários federais e civis durante busca em residência na Capital em operação contra tráfico de armas
foto - CGNews Policiais rodoviários federais e civis durante busca em residência na Capital em operação contra tráfico de armas
foto - CGNews

Duas pessoas foram presas nesta segunda-feira (3), uma em Dourados e outra em Campo Grande, durante a Operação Desarme, deflagrada para desmantelar uma quadrilha de tráfico de armas e munições em Mato Grosso do Sul e Rio de Janeiro. Segundo informações prestadas pelo delegado Fábio Peró, da Delegacia de Repressão a Roubos, Assaltos e Sequestros (Garras), na Capital, no Estado, foram emitidos sete mandados de prisão e seis de busca e apreensão, dos quais uma prisão ocorreu no Bairro São Francisco, onde um entregador de 46 anos de idade, foi localizado por equipes do próprio Garras e da PRF. O detido afirmou que se tornou alvo da investigação após comprar um carro clonado em um site de vendas e que tinha compartimentos para armazenamento de produtos ilícitos, mas negou envolvimento com o comércio de armas.

A outra prisão no Estado foi realizada por policiais da Delegacia de Repressão aos Crimes de Fronteira (Defron), em Dourados e teve como alvo um homem de 28 anos, morador em Bandeirantes e funcionário de um circo. Outras buscas foram realizadas em Nova Andradina e Bandeirantes.

Conforme as informações divulgadas pelos órgãos de segurança dos dois estados, as investigações que resultaram na operação começaram há um ano, depois da apreensão de carregamentos de armas procedentes de Mato Grosso do Sul e que chegavam ao Rio de Janeiro, para serem entregues a organizações criminosas que agem naquele estado, como facções, milícias e quadrilhas de traficantes de drogas.

A facilidade com que armamento pesado é encontrado para venda no interior do Paraguai tem levado muitas pessoas ao tráfico de armas, que são utilizadas em grandes assaltos e também pelas quadrilhas de roubos a bancos, que se utilizam de material pesado para intimidar a Polícia, além do tráfico de drogas, que dominam territórios em diversas regiões do Rio de Janeiro. A rota para o transporte de armamento geralmente passa por rodovias federais entre os dois estados e por isso a participação da PRF na operação, instituição também responsável pelo maior volume de apreensões de drogas e armas no País.

No Rio de Janeiro, de acordo com a coordenadoria da operação, sob a responsabilidade da Delegacia Especializada em Armas, Munições e Explosivos (Desarme), o chefe de uma quadrilha responsável pelo recebimento de grandes carregamentos de armas e encomendar armamento de grande porte e munição de uso restrito das forças policiais, foi preso. Outras duas prisões foram confirmadas até a tarde de ontem na capital fluminense.

De acordo com a Desarme, a operação contou com a participação de 100 policiais civis e 50 policiais rodoviários federais do Rio de Janeiro e 30 agentes de Polícia Civil e 30 policiais da PRF no Mato Grosso do Sul, para cumprirem o total de 17 mandados de prisão e 20 de busca e apreensão nos dois estados.



Envie seu Comentário