Quem foi Allan Kardec antes de codificar a Doutrina Espírita?

02/10/2018 14h52 - Por: Fátima Frota


 
Fátima Ferreira Rodrigues Frota, presidente da Associação de Jornalistas Espíritas Fátima Ferreira Rodrigues Frota, presidente da Associação de Jornalistas Espíritas

Durante todos os tempos ocorreram fenômenos de comunicação entre Deus e a humanidade. A Bíblia é a comprovação do diálogochamando a atenção para algo que existia além da Terra, no céu invisível. O que a espiritualidade desejava elucidar aos homens? Foi aos 3 de outubro de 1804, às 19h, em Lyon (França) que nascia aquele que faria a decodificação das instruções do mundo espiritual: Denisard Hipolyte Leon Rivail pedagogo, professor e escritor adotou o pseudônimo de Allan Kardec ao publicar as obras espíritas codificadas por ele.

Antes de conhecer a históriavamos adentrar no mundo da pessoa e do profissional DenisardHipolyteLeonRivail, cujos pais foram Jean Baptiste – Antoine Rivail, magistrado, juiz e de Jeanne Duhamel. Homem de caráter e de virtudes dignas fez dasua trajetória de estudo, trabalho e dedicação os fundamentos para a importante tarefa de trazer à Terra o significado científico, religioso e filosófico por traz das comunicações e da vida dos espíritos.

DenisardRivail foi aluno de Pestallozzi cuja base de formação fundamentou toda a sua vida. Formou-seBacharel em Letras e Ciências e fez doutorado em Medicina. Falava corretamente o alemão, o inglês, o italiano, o espanhol e conhecia também o holandês. Estudou omagnetismo. O alto e belo moço possuía maneiras distintas, bondoso e bem humorado sempre entre íntimos. Casou-se com a gentil e graciosaAmélie Gabrielle Boudetaos 06 de fevereiro de 1832.

Dedicou-se à propaganda do sistema educacional abraçada por Pestalozzi onde aprendeu as lições do mestre sobre a "natureza da criança", o "papel da mãe e do professor-jardineiro". Fundou o Instituto de Ensino Rivail em sociedade com seu tio, irmão de sua mãe, que mais tarde teve que vender sua parte devido a falência ocasionada pelo sócio que era dominado pelo jogo. Apesar do Instituto ter falido o professor Rivail não se desanimou e em conjunto com Amélie Gabrielle trabalhou na contabilidade para três firmas e para isso recebia importante soma de dinheiro.

Outro turno começava à noite! Escreviagramáticas, aritméticas e livros para estudos pedagógicos superiores. Fazia tambéma tradução de obras inglesas e alemãs e preparava todos os cursos que ele e o professor, Levy-Alvarès, minstravam a alunos de ambos os sexos no subúrbio de Saint Germain.

Em sua residência fundou um Liceu Polimático e de 1835 a 1850organizou cursos gratuitos de química, física, astronomia e anatomia comparada, os quais eram muito frequentados. Aos 20 anos de idade (1824) publicou seu primeiro livro: "Curso Prático de Aritmética, segundo o Método de Pestalozzi com modificações".

Foi membro de inúmeras sociedades de sábios, especialmente da Academia Real d´Arras, ondefoi premiado, por concurso, em 1831, apresentando a sua magnífica memória: Qual o Sistema de estudo mais em Harmonia com as necessidades da época?

Escreveu inúmeras obras didáticas, só ou com o professorLevy-Alvarès: Dentre elas destacam-se: "Gramática normal dos exames", ou soluções racionais de todas as perguntas sobre a gramática francesa, propostas nos exames de Sorbonne e em todas as Academias da França para obtenção de certificados e diplomas de habilitação e para a admissão ao funcionalismo público.

"Curso de cálculo de cabeça", pelo método Pestalozzi (para uso das mães de família e dos professores, no ensino de crianças pequenas);

"Tratado de Aritmética" (3000 exercícios e problemas graduados). Único que contém o método adotado pelo comércio e pelos bancos para o cálculo de juros.

"Questionário gramatical, literário e filosófico", em colaboração com Levy Alvarés; "Manual dos exames para certificados de habilitação";

"Catecismo gramatical da Língua Francesa";

"Soluções racionais das perguntas e dos problemas de aritmética e de geometria usual" propostos nos exames do "Hôtel de Ville" e da Sorbonne;

"Solução dos exercícios e problemas do trabalho completo de aritmética"

Suas últimas obras pedagógicas foram:

"Ditados normais dos exames do "Hôtel de Ville" e da Sorbonne;

"Ditados especiais sobre as dificuldades ortográficas".

Foi com a produção dessas e outras obrasque Rivail tornou-se um homem de grande instrução. Nada era desconhecido para ele. Sua curiosidade baseava-se em sólido método de pesquisas. Com avenda das suas obra em larga escala, e a assiduidade de seu trabalho, DenisardRivail pode alcançar uma singela abastança. Tinha um nome conhecido e acatado, seus trabalhos merecidamente louvados, muito antes de ele imortalizar o nome de Allan Kardec.

Sua missão, o chamava para uma tarefa mais dispendiosa, a uma obra mais magnífica.

Foi em 1854 que o professor Rivail ouviu do magnetizador Fortier pela primeira vez sobre as mesas girantes: "Eis o que é bem mais extraordinário: não apenas se faz girar uma mesa, como também se consegue fazê-la falar. Pergunta-se, e ela responde".

De imediato Rivail respondeu: - Quanto a isso, é outra coisa: eu crerei quando vir e, quando conseguirem provar-me que uma mesa dispõe de cérebro para pensar, nervos para sentir, e que pode tornar sonâmbula, até que isso se dê, dê-me permissão de enxergar nisso senão uma fábula para provocar o sono.

Foi com este espíritode reto juízo e de observação metódica que Rivail agiu de forma preventiva junto aos fenômenos e exigindo provas para acreditar. Desta forma, foi no período de 1854 a 1856 que um novo horizonte se descortina para esse pensador e Rivail cede lugar ao nome de Allan Kardec. Fonte: Livro – O Principiante Espírita e site http://www.autoresespiritasclassicos.com

*Fátima Frota – Presidente da Associação de Jor