Política Nacional da Erva-Mate segue para análise presidencial

06/12/2018 10h06 - Por Agência Senado


 
Ana Amélia comemorou a aprovação da proposta
Waldemir Barreto/Agência Senado Ana Amélia comemorou a aprovação da proposta
Waldemir Barreto/Agência Senado

O Senado aprovou na terça-feira (4) o projeto que institui a Política Nacional da Erva Mate. O texto prevê medidas como a oferta de linhas de crédito e o financiamento em condições favoráveis para a produção, industrialização e comercialização do produto.

O PLC 72/2017 segue para análise presidencial.

De acordo com a senadora Ana Amélia (PP-RS), que relatou a proposta na Comissão de Agricultura e Reforma Agrária (CRA), a erva-mate é o principal produto florestal não madeireiro da Região Sul e gera renda para 180 mil produtores familiares, numa cadeia produtiva que responde por 700 mil postos de trabalho e tem cerca de 700 empresas beneficiadoras.

Ela e o senador Dalirio Beber (PSDB-SC) comemoraram a aprovação.

É um assunto que interessa sobremaneira ao sul do país, porque o Rio Grande do Sul é o maior produtor, seguido do Paraná e Santa Catarina — disse Beber.

O texto, do deputado Afonso Hamm (PP-RS), também prevê assistência técnica e extensão rural de qualidade, especialmente aos agricultores familiares e aos pequenos e médios produtores.

Também deverão ser estimulados investimentos em inovação tecnológica da produção e da industrialização, com foco no aumento da produtividade e da qualidade e na ampliação do mercado consumidor.

Outras incumbências do poder público serão apoiar o comércio interno e externo da erva-mate e de seus derivados e priorizar acordos e parcerias com entidades públicas e privadas.


Envie seu Comentário