Microrganismos do solo impactam a saúde das plantas

18/04/2019 10h07 - Por AGROLINK COM INF. DE ASSESSORIA


 
Foto: Thinkstock/Embrapa Foto: Thinkstock/Embrapa

Um estudo realizado pela Embrapa Meio Ambiente (Jaguariúna, SP) trouxe novas descobertas sobre a relação da composição e funcionamento de comunidades microbianas complexas do solo durante a interação com a planta.

Dentre os benefícios estão o efeito na fisiologia e metabolismo da planta, a aquisição de nutrientes como fósforo, tolerância frio ou seca e proteção contra causadores de doenças.

Esse conjunto é o que determina o crescimento e desenvolvimento da planta de forma saudável e produtiva.

Para o pesquisador, Rodrigo Mendes, em busca de uma agricultura sustentável, os microbiomas podem desempenhar um papel importante, já que no caso da proteção de plantas contra doenças causadas por patógenos de solo, os solos que suprimem o aparecimento de populações de patógenos podem reduzir o uso de pesticidas.

Se houver um surto de alguma doença na planta, a biota do solo pode desenvolver mecanismos que barrem essa doença.

Da mesma forma que o sistema imunológico humano é dividido em imunidade natural (resposta imune inata) e imunidade adaptativa (resposta imune adquirida), os solos supressivos compartilham de características semelhantes. Rodrigo explica que a supressão específica age como uma vacina.

Ela é induzida após um surto da doença em campos cultivados sucessivamente por uma mesma cultura.

Com o estabelecimento da supressão específica, mesmo se mantendo a planta hospedeira suscetível na presença do patógeno do solo, o nível da doença é drasticamente reduzido, já que quando a planta não tem imunidade para aquela doença, pode ser colocado um microrganismo ou um conjunto de microrganismos que tornarão este solo capaz de inibi-lo naquela cultura.

"É interessante notar que se em um novo ciclo for introduzida uma cultura que não é hospedeira da doença, a supressão específica pode se dissipar, mas retorna rapidamente quando a cultura hospedeira da doença é reintroduzida no mesmo campo", diz o pesquisador.

O uso de técnicas avançadas de biologia molecular busca explicar mecanismos envolvidos na supressão específica de doenças de solo.

Esse fenômeno de supressão específica, sugere que pode existir uma abordagem universal para engenheirar microbiomas de solos supressivos com a finalidade de diminuir a dependência de pesticidas.

Similarmente ao uso de vacinas em humanos, a resposta imune adquirida de solos pode ser explorada para o desenvolvimento de estratégias para manipular o microbioma dos solos em benefício da saúde das plantas. "Essa mudança de abordagem pode contribuir para a segurança alimentar", acredita o pesquisador.

Fonte: Embrapa


Envie seu Comentário