Luíza Ribeiro fica 9 dias no Ministério da Cultura e pede demissão

Por: Willams Araújo - 06/01/2017 16h53

 
Luíza Ribeiro voltou ao cargo de vereadora em Campo Grande Luíza Ribeiro voltou ao cargo de vereadora em Campo Grande

A ex-vereadora Luiza Ribeiro (PPS), de Campo Grande, teve uma passagem meteórica pelo Ministério da Cultura, onde iria exercer cargo de secretária da Cidadania e da Diversidade Cultural com salário superior a R$ 15 mil.

Convidada pelo ministro Roberto Freire (PPS-PE), de quem é correligionária, Luíza pediu demissão do cargo de secretária na quinta-feira (5), nove dias após a nomeação.

Ela garante não ter sofrido pressão para deixar o cargo e disse que a decisão não tem ligação com o posicionamento político dela, que participou de manifestações "Fora Temer", desencadeadas em vários estados brasileiros com objetivo de afastar do cargo o presidente da República, Michel Temer (PMDB-SP).

Ela entregou o pedido de demissão do cargo de Secretária da Cidadania e da Diversidade Cultural, uma das seis secretarias do Ministério da Cultura, a Roberto Freire, seu padrinho na indicação.

"A minha decisão não tem relação de natureza política. Eu decidi não ficar porque não consegui conciliar o trabalho em Brasília com outras funções e compromissos profissionais que tenho em Campo Grande", disse.

Luiza, que é filiada ao PPS há quase 30 anos, disse que apresentou a documentação para posse, mas que não chegou a exercer a atividade de secretária do Ministério. "Minha documentação foi aceita, mas não assinei nenhum ato. Eu estava tomando pé da situação, pensei em conciliar com os meus compromissos, mas vi que não daria conta. Saí para não ficar 'empatando' a atividade".

No total, o salário dela seria de R$ 15.479,92. Apesar da boa votação nas eleições municipais de outubro, Luíza não conseguiu ser reeleita prejudicada pela legenda.

Envie seu Comentário