Obras de Lídia Baís são tema de cartões postais

O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), com o apoio da Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul (FCMS) e da Fundação Municipal de Cultura (Fundac), transformaram as obras de Lídia Baís em tema de cartões postais. O lançamento da coleção acontecerá com uma exposição das obras da artista, hoje, a partir das 19h30, na Morada dos Baís.

A coleção de postais contém 12 obras da artista, que foram fotografadas no acervo do Museu da Arte Contemporânea (Marco) e na Morada dos Baís, por técnicos do Iphan, para compor um catálogo do patrimônio histórico da artista. "A idéia primária era fazer um inventário para termos noção de um todo, com as pinturas, rascunhos musicais e bens materiais da artista. O Estado e o município já têm este inventário, o que facilitou nosso trabalho", afirmou a historiadora da Superintendência Regional do Iphan em Mato Grosso do Sul, Maíra Torres Corrêa.

Ao todo foram impressas 3 mil coleções, que serão distribuídas para as Fundações de Cultura, bibliotecas e museus. Das obras escolhidas, nove estão em exposição no Marco ("Mitologia", "Alegoria", "Auto-Retrato", "Menino com Livro", "Virgem com a Cruz", "Micróbio da Fuzarca", "O Rapto das Sabinas", "Alegoria Profética" e "Menina com Pote") e três no Museu Lídia Bais ("Joana D’Arc das Artes", "Família Baís" e "Santa Ceia").

Para a escritora Maria da Glória de Sá Rosa, Lídia é a maior figura no panorama inicial das artes plásticas em Mato Grosso do Sul, pela atitude de ruptura com o academicismo e a coragem de abordar temas ousados para época em que os processo estéticos de modernidade engatinhavam no Estado.

Nelly Martins, sobrinha de Lídia, doou o acervo artístico da tia para a FCMS. Desde 1991, o Marco detêm a salvaguarda do precioso acervo que contêm: 65 telas, 45 desenhos e esboços, 28 fotografias, composições musicais em 35 discos em 78 rotações (estes discos estão no acervo do MIS) e manuscritos. Os mobiliários e objetos pessoais compõem o acervo do Museu Lídia Baís, na própria Morada dos Baís.

As obras de Lídia Baís ficarão expostas, a partir desta terça, por 15 dias na Morada dos Baís, que fica na Avenida Noroeste, 5.140 (esquina com a Avenida Afonso Pena). A visitação é de terça a sábado das 8h às 19h, e no domingo das 9h ao meio-dia.